Em carreira / emprego

As mentiras mais comuns nos currículos de brasileiros - e outros países onde isso acontece

Um estudo da Robert Half que entrevistou mais de 2.700 diretores de todo o mundo apontou em quais áreas do currículo os brasileiros mais mentem 

Currículo
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Um estudo da Robert Half divulgado nesta segunda-feira (25) aponta que 75% dos diretores de empresas brasileiras já deixaram de contratar candidatos por terem descoberto mentiras em seus currículos.

Eles afirmaram que as mentiras mais comuns em currículos de candidatos, especificamente no Brasil, são: experiência de trabalho (56%), qualificações de ensino (46%), habilidades técnicas (44%) e idiomas (39%).

O Brasil, entretanto, não é o único país onde isso acontece: o estudo mostra que o Chile é o que lidera o ranking dos países onde essa prática é mais comum, com 80% dos diretores entrevistados afirmando que já detectaram mentiras em currículos. A França, por outro lado, é o país avaliado onde isso menos acontece, com 47% dos executivos afirmando terem passado por isso.

Foram 2.710 diretores de 10 países diferentes, sendo deste total 303 executivos de empresas brasileiras, sobre quantas vezes eles excluíram candidatos de processos seletivos por terem descoberto mentiras e “maquiagens” nos currículos.

Confira, a seguir, os países onde a prática é comum e quais as habilidades que os profissionais brasileiros mais maquiam:

Países onde os profissionais mais mentem em currículos
Classificação Países % de diretores que concordam
1 Chile 80%
2 Emirados Árabes 79%
3 Brasil/Alemanha 75%
4 Bélgica 74%
5 Holanda 71%
6 Austrália/Suíça 68%
7 Reino Unido 62%
8 França 47%
Habilidade/Campo do currículo Percentual
Experiência de trabalho 56%
Ensino/Graduação 46%
Habilidades técnicas 44%
Idiomas 39%
Tarefas de trabalhos anteriores 35%
Habilidades de liderança 27%
Estágios 26%
Habilidades em gerenciamento de projetos 18%
Salários anteriores 16%
Outros 1%

 

Contato