Emprego: uma em cada três vagas abertas nos últimos dez anos era terceirizada

De acordo com o estudo, estes trabalhadores somaram 4,1 milhões de pessoas (ou 16% do total) no ano passado

SÃO PAULO – De acordo com o estudo “Terceirização e Diversificação nos Regimes de Contratação de Mão-de-Obra”, do economista Marcio Pochmann, um em cada três novos empregos criados entre 1995 e 2005 era em empresas de terceirização.
Com isso, o ritmo médio de expansão anual desta modalidade foi quase quatro vezes maior do que o conjunto dos postos formais de trabalho.

4,1 milhões de empregados

Conforme divulgado pela Agência Brasil, enquanto os terceirizados somavam 1,8 milhões de pessoas em 1995, o que correspondia a 9,2% do total de empregados do setor privado, no ano passado, essa parcela de trabalhadores era de 4,1 milhões de indivíduos, ou 16% do total.

Para Pochmann, a terceirização é um item obrigatório atualmente para que as empresas tenham competitividade. “A terceirização representa uma economia de cerca de 7% nos gastos com folha de pagamento e encargos sociais”, afirmou.

PUBLICIDADE

Ainda segundo o economista, a contratação terceirizada é usada principalmente em atividades como a de segurança, limpeza, conservação e transporte.

Mas apesar das vantagens para as empresas, o estudo revela que a terceirização tem representado uma precarização do trabalho, uma vez que estes trabalhadores ganham um terço a menos do que os demais assalariados formais.