Emprego no comércio cresceu 4,1% em fevereiro, revela Fecomercio-SP

No segundo mês do ano, o número de empregados passou de 937.466 para 975.970 e registra saldo positivo de 38.504 vagas

SÃO PAULO – O nível de emprego do comércio varejista da Região Metropolitana de São Paulo registrou crescimento de 4,1% em fevereiro, na comparação com o mesmo mês de 2011. É o que revela um levantamento divulgado pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) nesta terça-feira (15).

No segundo mês do ano, o número de empregados passou de 937.466 para 975.970 e registra saldo positivo de 38.504 vagas.

Acumulado do ano
Ao analisar os resultados do primeiro bimestre, os dados revelam que os números de registros formais acrescidos no comércio foram de 1.531 trabalhadores, sendo 45.537 incorporados ao mercado e 44.006 desligados.

PUBLICIDADE

Em janeiro, o setor havia registrado saldo negativo de 6.552 funcionários, comportamento comum para esta época do ano. De acordo com a entidade, a tendência de arrefecimento no ritmo das contratações formais constatada nos últimos meses segue similar ao comportamento da produção industrial, que acusou queda de 3,9% entre fevereiro de 2011 e 2012.

Taxa de admitidos e demitidos
Em fevereiro, a taxa de admitidos na RMSP ficou em 4,7%, enquanto a taxa de demitidos foi de 4,5%.

No segundo mês do ano, a rotatividade no comércio geral ficou estável em 4,6% e o segmento que apresentou maior rodízio de profissionais no intervalo foi o de Vestuário, Tecidos e Calçados (5,9%), seguido por Supermercados (5,2%).

Resultados não são tendências
Para a entidade, embora o desempenho percebido na contratação formal seja de desaceleração nas taxas de crescimento desde meados do ano passado, é importante ressaltar que o primeiro trimestre do ano costuma registrar ritmo de atividade menos pronunciado em virtude dos inúmeros compromissos financeiros tanto para empresas quanto consumidores.

“Os resultados não podem ser interpretados como tendência, já que há uma série de estímulos para manter o nível de consumo aquecido, bem como a desoneração da folha de pagamento da indústria. Essa medida deve reverter o cenário de baixas contratações no setor e impactar, indiretamente, de forma positiva a contratação de mão de obra no varejo”.

Sobre a pesquisa
O estudo analisa o nível de emprego do comércio na Região Metropolitana de São Paulo por meio de dados do (Caged). São utilizados os dados primários do Caged e em posse do código CNAE do comércio varejista consolida os dados em 12 ramos de atividades se obtém o número de empregados mensais, demitidos e admitidos. A pesquisa de Emprego e Salário é apurada mensalmente desde janeiro de 2008.