Emprego industrial no Estado de SP cai 0,36% em novembro, revela Fiesp

Percentual representa corte de 7.664 vagas; Federação destaca que redução é normal nos últimos dois meses do ano

SÃO PAULO – A indústria paulista reduziu sua força de trabalho em 0,36% em novembro, na comparação com o mês anterior, o que significa o corte de 7.664 vagas.

No entanto, considerando-se o ajuste sazonal, vale dizer que o nível de emprego registra variação positiva de 0,22% em novembro. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (14) pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Mais de 94 mil vagas geradas em 2005

PUBLICIDADE

Ainda na série sem ajuste sazonal, a pesquisa da Fiesp revela que as admissões acumuladas em 2005, até novembro, totalizam 94.236 vagas profissionais, representando aumento de 4,52% no nível de emprego da indústria paulista, em relação ao mesmo período de 2004. Já na somatória dos últimos 12 meses, a evolução chega a 3,13%, com incremento de 65.113 mil trabalhadores no setor.

O estudo mostra ainda que, dos 47 sindicatos pesquisados do Estado de São Paulo, 23 registraram desempenho positivo, enquanto 18 tiveram resultado negativo. Outros seis permaneceram estáveis no período.

Maiores contratações e cortes de emprego

Entre os segmentos analisados pela Fiesp, o de Doces e Conservas Alimentícias foi o que mais contratou em novembro (7,85%). Na segunda colocação, aparece Relojoaria (3,31%), seguido por Proteção, Tratamento e Transformação de Superfícies (2,86%).

No outro extremo da lista, os maiores cortes de vagas no confronto com outubro foram observados em Mármores e Granitos (-4,02%), Bebidas em Geral (-1,87%) e Abrasivos (1,44%).

Perspectivas

Ainda de acordo com a Fiesp, o movimento de redução do nível de emprego é considerado habitual para os meses de novembro e dezembro.

Segundo o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos, Paulo Francini, a hipótese é que dezembro termine em queda de 1,44%. “Com estes resultados, 2005 fechará com crescimento de 3,12%, o que representa a criação em torno de 65 mil postos de trabalho”, esclarece.