Emprego: entrevistas em inglês assustam, mas são cada vez mais comuns

Entrevistas em inglês não guardam segredo algum e são como entrevistas comuns. Mas, nessa hora, nem adianta enrolar

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Você já sabe como se comportar em uma entrevista, tem ótimas qualificações, um currículo alinhado à vaga e sua comunicação interpessoal é tão efetiva que ganha confiança e acredita que já conseguiu a oportunidade. De repente, você ouve: how is your english?

Para quem não está preparado, se deparar com uma entrevista em inglês pode ser o mesmo que encarar obstáculos intransponíveis. E o resultado não é tão animador: cai a confiança, vem o desânimo, você trava e não consegue emitir uma palavra sequer em outra língua. E a vaga que parecia tão perto de ser sua, começa a se distanciar.

Entrevistas em inglês não guardam segredo algum. De maneira geral, elas são como entrevistas comuns, com o diferencial de que além das qualificações, habilidades e competências, sua capacidade de falar outra língua também está sendo avaliada.

Aprenda a investir na bolsa

Nessa hora quem sabe, sabe, quem não sabe, não sabe. E não adianta tentar enrolar. “Você precisa ser o mais honesto possível”, reforça uma das sócias da consultoria especializada em recrutamento, seleção e avaliação de executivos Transition RH Luciana Torres. Para ela, quem é sincero e se encaixa no perfil da vaga tem grandes chances de continuar no processo de seleção, ainda que não saiba inglês.

O que não significa que o profissional deve esperar que seu currículo e experiência supram a sua deficiência na língua estrangeira. “O Brasil está despontando, os investimentos estão vindo pra cá, as empresas multinacionais estão vindo pra cá, então é preciso estudar inglês, que já é básico para qualquer carreira”, avalia Luciana.

E agora?
Quando participam de processos seletivos de grandes empresas, é comum que os candidatos saibam que irão fazer uma entrevista em inglês. E por mais que se conheça a língua, um treinamento pode ajudar a melhorar a performance. “O inglês formal demais já demonstra que o candidato não sabe falar fluentemente”, alerta um dos sócios da Plan Idiomas, especializada em inglês corporativo e treinamento para entrevistas em inglês, Faust Maurer.

De acordo com ele, quando uma empresa realiza uma entrevista em inglês, é porque a chance de o candidato ter de manter contato com profissionais e gestores de outro país é grande. “O candidato tem de saber falar ao telefone, ou seja, ele tem de ter uma boa compreensão oral”, avalia Maurer. E de nada adianta pedir para que o entrevistador fale mais devagar. “Você tem de acompanhar o ritmo. Mas isso é uma questão de treinamento”, avalia.

Para além do treinamento, uma entrevista em inglês não difere de uma em português. “A maioria dessas entrevistas é um grande bate papo”, afirma a consultora de Recrutamento e Seleção da Ricardo Xavier Recursos Humanos Thais Pontin. “Elas ocorrem para as empresas sentirem qual o nível de inglês do candidato, se ele consegue estruturar sentenças e frases”, avalia.

“De maneira geral, o entrevistador pregunta sobre a escolaridade e a experiência. Além disso, ele deve atentar para a utilização correta das formas verbais da língua”, alertar Maurer. “Mas a primeira coisa é o candidato conhecer bem a empresa”. Para o especialista, é importante durante esse processo saber falar de si mesmo. “Falar as qualificações e os defeitos em inglês é o grande diferencial do candidato”, diz.

PUBLICIDADE

Já para o curso!
Para Luciana, da Transition RH, estudar as questões e ir treinado para a entrevista não adianta muita coisa. “As perguntas dependerão do cargo a que você está se candidatando e da cultura da empresa”, afirma. “Não adianta ter estudado porque trata-se de uma conversa e as perguntas são feitas de acordo com o ritmo da entrevista”, considera.

E não adianta treinar apenas para a entrevista, principalmente para uma oportunidade em que o inglês é fundamental para o trabalho. “Se o profissional não tem inglês, ele não consegue se sustentar no emprego”, afirma Thais, da Ricardo Xavier. Para os especialistas, para quem quer se dar bem no mercado e nas entrevistas em inglês só existe um caminho: estudar.