Emprego: crise repercute menos entre executivos, cuja busca cresceu 14%

Setor industrial liderou quanto ao número de novas oportunidades oferecidas, sendo responsável por 43% do total

SÃO PAULO – O estudo da consultoria organizacional Right Management referente a janeiro revela que a crise mundial da economia repercute de maneira diferente nos níveis executivos.

Prova disso é que, apesar das demissões em massa que ocorrem nos níveis operacionais das empresas, a busca por profissionais do alto escalão aumentou 14% em janeiro último ante o mesmo mês do ano passado. Especificamente em São Paulo, esse percentual foi de 2%.

Por setores

O setor industrial liderou quanto ao número de novas oportunidades oferecidas, sendo responsável por 43% das colocações (em dezembro, as empresas do ramo respondiam por 39% das ofertas). Dentro do setor, destacaram-se os segmentos automotivo e de construção civil, com 24% e 16% das vagas oferecidas, respectivamente.

PUBLICIDADE

Depois da indústria, aparece o setor de serviços, com 30% das vagas ofertadas (em dezembro, esse percentual havia sido de 35%). Aqui, o destaque é o segmento de Tecnologia da Informação, com 22% dos postos em aberto.

Movimento atípico

Como dezembro é um mês de tradicional desaceleração nas contratações, independentemente do cenário econômico, a variação entre o último mês do ano passado e o primeiro de 2009 foi de nada menos do que 102%.

A diretora de Transição de Carreira da Right Management, Matilde Berna, explica que, se dezembro é, usualmente, um mês fraco para contratações, “os três meses seguintes são marcados pela retomada”.

“O que concluímos com a pesquisa é que a necessidade de ter em seu quadro profissionais cada vez mais capacitados adiantou o movimento de contratações [para o início do ano], que costumava ser mais diluído entre janeiro, fevereiro e março”, analisa Matilde.