Emprego: contratações terão queda em 2012, mas ainda serão positivas

Estudo da Manpower prevê queda de 5 p.p. nas contratações do próximo trimestre, mas ainda mantêm perspectiva de 33%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os empregos deverão continuar estáveis no próximo trimestre de 2012, e isso, mesmo apesar da relativa queda de 5 p.p. observada no período de outubro a dezembro de 2011. Ao menos, esta é a previsão da ManpowerGroup divulgada nesta terça-feira (13).

Segundo a Expectativa Líquida de Emprego, março do próximo ano somará 33% das contratações, com 40% dos empregadores esperando uma leve alta e 7% prevendo uma diminuição no quadro de colaboradores.

Para se ter uma ideia, no trimestre anterior tal resultado foi de 38%, o que demonstra que as contratações ainda estão abaixo do percentual atingido no fim do ano. O mesmo se refere ao percentual atingido em janeiro de 2010. De acordo com o levantamento, em tal período o percentual de contratações foi de 36%.

Aprenda a investir na bolsa

Serviço em alta
Entre os setores, as perspectivas de contratação são mais fortes nos segmentos de Serviços; e de Transportes e Serviços Públicos, com Expectativas Líquidas de Emprego de +45% e +43%, respectivamente.

“A demanda continua forte para atender os planos de infraestrutura, mas as melhores oportunidades no Brasil, atualmente, estão no setor de Serviços, particularmente em áreas como Turismo e Logística”, explica o CEO da Manpower Brasil, Riccardo Barberis.

Segundo ele, o setor de serviços foi quem liderou a criação de empregos formais em 2010 e quem manteve as perspectivas de contratação altas e estáveis em 2011. “Ainda assim, esperamos que a retenção de talento chave continue a ser um desafio em 2012, especialmente no nível gerencial. Muitos empregadores têm nos relatado a dificuldade em encontrar gestores com verdadeiras qualidades de liderança”, diz.

Outras áreas
Lembrando ainda que os planos de contratação se mantêm robustos em outras áreas, como no setor do Comércio, em que os empregadores apontam uma expectativa de +37% e no da Construção (36%).

Já na Agricultura, Pesca e Mineração; no setor de Finanças, Seguro e Imobiliário; e de Administração Pública e Educação, as perspectivas também se mostram estáveis, representando 30% das contratações.

Rio e SP
Por região, os empregadores também revelam expectativas positivas nas cinco regiões avaliadas. De acordo com o estudo, os planos de contratação mais otimistas para o primeiro trimestre de 2012 foram registrados no estado do Rio de Janeiro, com uma próspera Expectativa Líquida de Emprego de +44% e na Cidade de São Paulo, onde o mesmo atingiu 34%.

PUBLICIDADE

“No Rio de Janeiro, a perspectiva é 6 p.p. maior que a registrada para o primeiro trimestre de 2011 e 5 p.p. maior que a registrada para o 4º trimestre de 2011”, detalha o levantamento.

Outros que também se destacaram foram os Estados de Minas Gerais, Paraná e São Paulo, que tiveram perspectivas de crescimento no quadro de funcionários de +31%, 30% e 27%, respectivamente. “Ainda que o Governo Federal reduza a expectativa de criação de empregos e a estimativa do PIB [Produto Interno Bruto], há um enorme potencial no mercado de trabalho brasileiro”, afirma Barberis.

Para ele, as intenções de contratações no Brasil são as mais otimistas das Américas e empregadores estão confiantes na capacidade de contratar no primeiro trimestre de 2012, especialmente no Rio de Janeiro por conta da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.