Emprego: 4 mil postos foram fechados pela indústria paulista em novembro

Os destaques de queda ficaram com o município de Sertãozinho e com o segmento de couros, artigos de viagem e calçados

SÃO PAULO – A indústria paulista reduziu sua força de trabalho em 0,19% em novembro, na comparação com outubro. O resultado representa a diminuição de 4 mil vagas.

Considerando o ajuste sazonal, entretanto, há uma alta de 0,78%, de acordo com pesquisa do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) e da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) divulgada nesta quarta-feira (12).

No acumulado do ano, o nível de emprego da indústria paulista já aumentou 8,67%, o que significa 180 mil vagas criadas. Já nos últimos 12 meses, a alta é de 5,99%, com 128 mil empregos abertos.

Destaques entre os setores

PUBLICIDADE

Dos 21 setores analisados, nove apresentaram desempenho positivo em novembro, ante o mês anterior, com destaque para os de madeira (+1,20%), equipamentos e instrumentos médico-hospitalares (+0,92%) e minerais não-metálicos (+0,76%).

Por outro lado, entre os sete segmentos que tiveram resultados negativos, destacam-se os de couros, artigos de viagens e calçados (-1,54%), alimentos e bebidas (também -1,54%) e coque, refino de petróleo e produção de álcool (-0,57%).

Análise regional

Na análise regional, o levantamento revela que Mogi das Cruzes foi o município líder em contratações em novembro, em relação a outubro, com o acréscimo de 0,98% em sua mão-de-obra industrial. Matão (+0,85%) e Diadema (+0,55%) vieram em seguida.

Na contramão dos resultados positivos, as cidades que mais demitiram no décimo primeiro mês do ano foram Sertãozinho (-8,06%), São João da Boa Vista (-1,64%) e Araçatuba (-1,39%).

Acumulados

Nos onze primeiros meses de 2007, 20 segmentos tiveram resultado positivo e um apresentou queda no nível de emprego. Os destaques ficaram com a fabricação de coque, refino de petróleo, elaboração de combustíveis nucleares e produção de álcool (+33,58%) e com material eletrônico e equipamentos de comunicação (-7,04%).

Já no acumulado dos últimos 12 meses, 17 setores obtiveram alta, dois ficaram praticamente estáveis e dois registraram diminuição. Os destaques ficaram com a fabricação de outros equipamentos de transporte (+25,8%) e com material eletrônico e equipamentos de comunicações (-8,1%).