Empreendimento que conjuga casa e escritório facilita vida do trabalhador

Edifícios em sintonia com as necessidades contemporâneas resolvem muitos dos anseios do profissional

SÃO PAULO – Em Pinheiros, bairro da zona Oeste de São Paulo, o empreendimento Combinatto, da Lopes Consultoria de Imóveis, conjuga trabalho e casa em um mesmo lugar, mas com entradas completamente diferentes: uma para o escritório e outra para o lar, como se fossem espaços distintos.

Sua concepção tem como base a necessidade dos trabalhadores, cada vez mais visível, de fugir do trânsito e do estresse cotidiano, em prol da qualidade de vida.

Histórico

Mas essa idéia, que se tornou uma tendência nas principais metrópoles do mundo, não é de hoje. O arquiteto e pesquisador do Nomads (Núcleo de Estudos de Habitares Interativos, http://www.eesc.usp.br/nomads/), da USP (Universidade de São Paulo), Fábio Queiroz, conta que o Edifício Copan, no centro da capital paulista, inaugurado em 1962, já havia sido concebido pensando no conforto do morador.

PUBLICIDADE

A idéia era que, no andar térreo do edifício, ficassem as empresas onde os moradores trabalhavam e tudo o mais que eles precisassem: restaurantes, salas de cinema, lojas de roupas, salão de beleza, lavanderia e locadora de vídeo. “O mercado enxerga isso como uma novidade recente que veio para acrescentar qualidade de vida às pessoas que vivem nos grandes centros urbanos. Mas a idéia já existia”, explica.

Não dá para negar que edifícios tão modernos, em sintonia com as necessidades contemporâneas, resolvem muitos dos anseios do profissional, que vê diante de si a chance de perder menos tempo no trânsito – no deslocamento para o trabalho-, passar mais tempo com a família, disponibilizar um espaço diário na agenda para cuidar de si, praticar exercícios físicos, sair com os amigos, ler um livro, estudar…

Pontos altos

Segundo Queiroz, empreendimentos como o Combinatto tem como um dos pontos fortes a autonomia. Como as entradas para a casa e o escritório são separadas, clientes e parceiros comerciais se sentem menos constrangidos ao visitar a empresa. “Ao contrário do que acontece com as pessoas que trabalham em casa, em regime de home-office, há uma formalização do espaço de trabalho”.

Além disso, eles permitem que o profissional trabalhe praticamente em casa, mas sem deixar que a vida pessoal interfira em seu desempenho, uma vez que, apesar da proximidade, são espaços distintos. “É bom para mães que não querem se afastar dos filhos, mas também não podem deixar que eles atrapalhem sua rotina”, lembra.

Lado ruim

O Combinatto oferece escritórios pequenos, ótimos para profissionais liberais e autônomos. Mas não consegue abrigar uma empresa com mais funcionários. Além disso, os apartamentos também são pequenos, não sendo compatíveis com famílias grandes. Essas lacunas precisam ser preenchidas pelo mercado imobiliário, uma vez que a demanda por soluções do tipo aumenta.

Além disso, o pesquisador alerta para os perigos de morar a um passo do escritório. “O primeiro problema é o mesmo vivido por pessoas que trabalham em regime de home-office. Elas relatam que acabam se dedicando muito mais do que se morassem longe do trabalho”. E existe a tendência de se preocupar ainda mais com as tarefas profissionais, uma vez que a mente não é “desligada” ao chegar em casa. Mas não é regra geral. “Depende de como cada pessoa enxerga a vida próxima ao trabalho”.