Em vez de 3,8%, consumo das famílias cresceu 4,3% no ano passado

Modificação do índice é resultante do novo cálculo utilizado pelo IBGE para o Produto Interno Bruto (PIB)

SÃO PAULO – Pela nova metodologia para o cálculo do Produto Interno Bruto (PIB), anunciada na última quarta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o consumo das famílias aumentou mais do que o anunciado em fevereiro deste ano, passando de 3,8% da antiga soma para 4,3%. Foi a terceira vez seguida que houve expansão no índice.

Salário

Conforme explicação de técnicos do instituto no documento de divulgação, um dos fatores que contribuíram para este resultado foi a elevação de 5,6% da massa salarial real.

Esta, por sua vez, foi decorrente do comportamento favorável tanto do pessoal ocupado como do rendimento médio real do trabalho efetivamente recebido, que tiveram aumentos de, respectivamente, 2,3% e 3,3%, na comparação com 2005.

PUBLICIDADE

Além disso, houve um crescimento, em termos nominais, de 29,9% do saldo de operações de crédito do sistema financeiro com recursos livres para as pessoas físicas.

PIB

Veja: com a nova soma, os pesos das atividades agropecuária e industrial caíram, enquanto o das atividades de serviços cresceu. Além disso, a importância das despesas das famílias se expandiu e dos investimentos caiu.

Com isso, o PIB do ano passado cresceu 3,7% ao longo do ano passado, atingindo R$ 2,323 trilhões. Pelo cálculo antigo, a expansão havia sido de 2,9%.