Em meio a SPFW, conheça algumas alternativas de trabalho no mundo da moda

Além de modelos e estilistas, há muitas opções para quem quer ter na moda o seu ofício, dizem especialistas

SÃO PAULO – A 15ª edição da São Paulo Fashion Week chega ao fim nesta quarta-feira (2), entretanto, engana-se quem pensa que o mundo da moda resume-se a modelos e estilistas. Segundo especialistas, há muitas opções para quem quer ter na moda o seu ofício.

De acordo com o coordenador do curso de Negócios da Moda da Universidade Anhembi Morumbi, Emerson Otsuka, em 2009, o setor movimentava no Brasil cerca de US$ 1 bilhão. Além disso, segundo o coordenador do curso de Design de Moda da Faap (Fundação Armando Alvares Penteado), Ivan Bismara, é um dos que mais emprega no País.

“A moda não é só o mundo dos desfiles e das tendências como a maior parte das pessoas pensam, existem vários nichos (…) É um mercado disputado, sobretudo na cidade de São Paulo, mas ainda há espaço em outras regiões”, diz Otsuka.

Opções
Dentre as profissões menos conhecidas no universo da moda, os professores destacam as de design têxtil, gerente de produtos e comprador de moda.

A primeira, conforme explica Bismara, é responsável por fazer a estamparia de um tecido ou mesmo criar as estampas de uma coleção. Este profissional, geralmente, ganha por trabalho, sendo que em início de carreira pode chegar a receber em torno de R$ 3 mil, quando contratado por uma empresa.

O gerente de produtos, por sua vez, executa toda a parte operacional, envolvido desde a criação do produto até a importação ou exportação. Quanto aos salários, diz o professor da Faap, eles variam conforme o tamanho da empresa e a experiência do profissional.

Já o comprador de moda, figura muito presente, por exemplo, em grandes magazines e hipermercados, é quem costuma fazer as compras das coleções destes locais. O salário inicial, dependendo do porte da empresa, é em média de R$ 1.500, entretanto, com o tempo, pode passar facilmente disso, diz Bismara.

Cultura
Para quem tem interesse em trabalhar com moda, os professores orientam a profissionalização, por meio de graduações, pós e cursos em geral. Também é importante que a pessoa saiba várias línguas, tenha repertório cultural e espírito empreendedor.

Moda é uma área de conhecimento. É preciso ter cultura, repertório, estar antenado com o que acontece ao redor e saber olhar o mundo de outra maneira”, diz Bismara.

PUBLICIDADE