Em abril, número de empregos criados dobrou em São Paulo

No quarto mês do ano o estado registrou a criação de 72 mil vagas, mantendo-se em primeiro lugar no ranking do Caged

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O número de empregos criados, com registro em carteira, no estado de São Paulo durante o mês de abril representou o dobro do registrado em março, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado nesta semana pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

No total, 72 mil empregos foram criados no estado, impulsionados pela expansão de setores com Serviços (25.156 vagas), Agricultura (19.887) e Indústria da Transformação (15.659). Com isso, o estado continua a liderar o ranking da criação de empregos, posição que, neste ano, foi alcançada em março.

Outros estados

O ranking com as 27 unidades da federação sofreu algumas modificações no quarto mês do ano, com Minas Gerais passando da terceira para a segunda posição, com a criação de 15.602 empregos. Em seguida está Goiás, com 14.662 vagas abertas. O estado também subiu uma posição, já que em março estava na quarta colocação.

Aprenda a investir na bolsa

Outro estado que alcançou mais posições neste período foi o Espírito Santo, que passou de 12º lugar para o sétimo, com a criação de 4.749 empregos. Santa Cantarina, por sua vez, passou da 18º para 12º posição, com a geração de 836 vagas.

Entre os que permaneceram na mesma posição, além de São Paulo, estão o Rio de Janeiro (5º lugar), Bahia (8º), Rondônia (11º), Tocantins (13º) e Mato Grosso (20º).

Por outro lado, estados como o Rio Grande do Sul (6º para 10º), Mato Grosso do Sul (7º para 16º) e Maranhão (19º para 22º) caíram de posições. Já nas duas últimas colocações, estão Pernambuco e Alagoas, em 26º e 27º, respectivamente.

Para o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, o saldo é positivo. “Dezoito estados apresentaram saldo positivo e nove negativo. Penso que, no mês de abril, consolido a previsão de que o Brasil vai viver um gráfico inverso do que aconteceu em outros períodos. Vamos ter um acúmulo de dados positivos. Minha previsão é de que sejam criados mais de um milhão de empregos este ano”.