Em 60 anos, caiu para 10,8% total de vagas ocupadas por trabalhadores de até 19 anos

Em 1940, proporção era de 33,7%. No que diz respeito aos idosos, a diminuição foi mais contida, de 5,8% para 4,8%

SÃO PAULO – Há menos crianças e adolescentes no mercado de trabalho. Pesquisa divulgada nesta sexta-feira (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que, em 60 anos, a proporção de ocupados com idade entre dez e 19 anos, assim como pessoas com mais de 60 anos, diminuiu. Em 1940, os mais jovens respondiam por 33,7% das vagas ocupadas, total que caiu para 10,8% na análise seguinte. No que diz respeito aos idosos, a diminuição foi mais contida, de 5,8% para 4,8%.

Por outro lado, aqueles com idade entre 20 e 29 anos (de 24,7% para 28,4%), 30 e 39 anos (de 16,9% para 26,6%), 40 a 49 anos (11,9% para 19,5%) e entre 50 e 59 anos (7,1% para 9,9%) tiveram aumento na participação.

Aumento e setor agrícola

Além disso, a pesquisa mostrou que o número de brasileiros com mais de dez anos de idade e que exerciam alguma função do mercado de trabalho mais que dobrou no período: em 1940, o contingente de ocupados era de 28,9 milhões de pessoas – total que passou para 65,6 milhões nos anos 2000 (crescimento de 48,5%).

PUBLICIDADE

O levantamento trouxe números sobre uma tendência que já era percebida na realidade brasileira: o setor agrícola perdeu representatividade no que diz respeito a contratações. Enquanto nos anos 40 essa atividade respondia por 32,6% das contratações, esse total caiu praticamente pela metade em 2000, chegando a 17,9%.

Homem x mulher

Por fim, de acordo com o estudo, na passagem dos 60 anos analisados as mulheres ganharam espaço, antes ocupados pelo homens, dentro dos setores de agricultura, pecuária e silvicultura; indústrias de transformação e transportes e comunicação.

No intervalo de tempo, a proporção delas aumentou de 13,5% para 22%; de 20,9% para 31,5% e de 2,9% para 12,1%; respectivamente.

Apenas no que diz respeito ao grupo de indústrias extrativas, eles ampliaram sua participação nesse intervalo de tempo: de 88,4% para 92,8%.