Em 2011, diretores brasileiros receberam bônus médio de US$ 147 mil

Segundo dados divulgados pelo Hay Group, este foi o maior valor apurado entre 13 países pesquisados

SÃO PAULO – No ano passado, os incentivos de curto prazo, os chamados bônus, dos diretores brasileiros foram de aproximadamente US$ 147 mil. Segundo dados divulgados na última terça-feira (24) pelo Hay Group, este foi o maior valor entre 13 países pesquisados.

De acordo com o estudo, o valor de bônus pagos aos profissionais de nível diretoria em empresas atuantes no Brasil em 2011 foi 13,95% maior do que a segunda maior média, de US$ 129 mil, no Chile. O menor valor, dentre os pesquisados, foi pago aos profissionais franceses, US$ 67 mil.

Nos demais níveis, gerência e profissional, o incentivo pago no Brasil foi de US$ 24 mil e US$ 3,3 mil, conforme é possível observar na tabela a seguir.

PUBLICIDADE
Valores de bônus 2011
PaísDiretoria Gerência Profissional
BrasilUS$ 147 milUS$ 24 milUS$ 3,3 mil
ChileUS$ 129 milUS$ 30,7 milUS$ 7,7 mil
RússiaUS$ 120 milUS$ 24,6 milUS$ 4,1 mil
ChinaUS$ 112 milUS$ 19 milUS$ 3,1 mil
AlemanhaUS$ 100 milUS$ 23,8 milUS$ 6,1 mil
EUAUS$ 80 milUS$ 27 milUS$ 6,1 mil
MéxicoUS$ 75 milUS$ 17 milUS$ 3,5 mil
Reino UnidoUS$ 74,6 milUS$ 21,3 milUS$ 3,9 mil
JapãoUS$ 74,5 milUS$ 27,2 milUS$ 8 mil
ArgentinaUS$ 74,3 milUS$ 18 milUS$ 4,1 mil
ÍndiaUS$ 73 milUS$ 16,5 milUS$$ 2,4 mil
ItáliaUS$ 70 milUS$ 21,7 milUS$ 9,4 mil
FrançaUS$ 67 milUS$ 15,7 milUS$ 5,8 mil

Mudanças
Ainda conforme o Hay Group, no ano passado, 8% das empresas participantes não possuíam programa formal de incentivos de curto prazo. O restante (19%) realizou alguma mudança no programa, enquanto que 73% não fizeram nenhuma alteração.

Dentre as ações de incentivos implementadas, pagamentos adicionais foram as mais utilizadas (37%).

No que diz respeito às alterações nos programas de incentivo em 2012, 37% das empresas planejam mudanças, sendo que 62% delas pretendem alterar as metas estabelecidas para o programa.