Elevação do emprego industrial em 2004 é a mais intensa já verificada pela CNI

De janeiro a novembro do ano passado, contingente de mão-de-obra aumentou 3,16% diante do mesmo período em 2003

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O crescimento do número de pessoas empregadas na indústria de transformação brasileira atingiu 3,16% de janeiro a novembro de 2004, na comparação com igual período do ano anterior. Este ritmo de expansão é o mais expressivo já registrado pelos Indicadores Industriais da CNI (Confederação Nacional da Indústria), que começaram a ser pesquisados em 1992.

Em relação ao mês anterior, novembro apresentou aumento de 0,48% no contingente de mão-de-obra industrial, a mesma alta verifcada em outubro. Na comparação com o mesmo período de 2003, o crescimento chega a 6,59%, o que representa o recorde histórico de variação positiva de um ano para outro.

A quantidade de vagas de trabalho na indústria aumentou no segundo semestre do ano alcançando um crescimento médio de 0,7% ao mês, o maior já registrado na última década, segundo a CNI. Vale lembrar que todas as comparações dos Indicadores Industriais desconsideram os efeitos sazonais.

Mais horas de trabalho e mais salários

PUBLICIDADE

O número de horas trabalhadas na indústria brasileira subiu 0,30% em novembro, na comparação com outubro. Considerado o indicador que mais reflete o nível de produção, este índice alcança seu melhor ritmo de crescimento em uma década e consolida sua trajetória de expansão ao longo de 2004, quando apresentou variação negativa apenas no mês de julho.

Em relação a novembro de 2003, o aumento das horas trabalhadas na indústria chega a 9,72%, taxa muito próxima a maior elevação anual de 2004, que foi constatada em agosto (10,41%). Já no acumulado do ano passado, a evolução é de 5,70%.

A massa salarial dos empregados da indústria, por sua vez, expandiu-se 1,49% em novembro e confirmou seu movimento de recuperação ao longo do ano, que já totaliza acréscimos de 8,85% nos ganhos dos trabalhadores, ao se comparar com igual período de 2003.

De acordo com a CNI, o forte crescimento na massa salarial em 2004 é ainda mais notável por ocorrer sobre uma base de comparação elevada, já que no segundo semestre de 2003 a indústria brasileira havia retomado seu ritmo de expansão.

Outro dado positivo é a ampliação de 10,26% na renda do trabalhador em novembro, diante dos valores pagos em igual período do ano anterior. A variação positiva de dois dígitos é verificada há três meses, fenômeno que não se repetia desde 1995, quando os trabalhadores foram beneficiados pela estabilidade monetária criada pelo Plano Real.

A pesquisa da CNI é realizada mensalmente e se baseia em dados coletados junto a três mil empresas médias e grandes instaladas em 12 estados do Brasil.