Eleição diminui número de vagas para executivos em outubro

Segundo estudo, no décimo mês do ano, foram geradas 2.035 novas posições, 12,66% menos do que o apurado em setembro

SÃO PAULO – O período eleitoral diminuiu a oferta de vagas para executivos no mês de outubro, segundo informa levantamento realizado pela Ricardo Xavier Recursos Humanos e divulgado na quinta-feira (11).

De acordo com o estudo, no décimo mês do ano, foram geradas 2.035 novas posições, 12,66% menos do que o apurado em setembro, sendo que até o fim deste ano o cenário não deve sofrer mudanças significativas.

Por outro lado, em relação a outubro do ano passado, houve certa estabilidade, já que naquele período foram abertas 2.045 oportunidades.

PUBLICIDADE

“Diversas empresas preferiram esperar o resultado das eleições para, depois, colocar em prática os planos de expansão (…) A oferta de vagas agora será principalmente para os cargos operacionais. No próximo ano, porém, os investimentos devem ser retomados e a disputa por talentos se tornará ainda mais acirrada”, explica o presidente da Ricardo Xavier, Hélio Terra.

Engenheiros lideram
Ainda segundo o levantamento, em outubro, a área de engenharia foi a responsável pela maior parte das contratações, com 14% do total de oportunidades. Em seguida, ficaram a área administrativa (7%), financeira (6%), recursos humanos e industrial (6%), além de marketing e tecnologia da informação, com 5% cada.

No ranking dos profissionais, os engenheiros também foram os mais procurados no mercado, com 22,76% do total das posições. Em segundo lugar ficaram os profissionais de administração (11,90%), seguidos pelos de ciências contábeis (6,13%), conforme tabela a seguir:

Ranking dos profissionais
ProfissãoPercentual
Engenharia22,76%
Administração11,90%
Ciências Contábeis6,13%
Economia3,37%
Propaganda/ Publicidade e Marketing3,45%
Direito2,52%
Psicologia1,74%
Tecnologia da Informação0,97%
Comunicação0,78%
Química0,74%

Regiões
Por região, São Paulo foi a localidade que concentrou a maior parte das vagas ofertadas para executivos em outubro, com 43% do total.

Na sequência vieram Campinas (17%), Rio de Janeiro (11%), Porto Alegre e Salvador (10% cada), Belo Horizonte (7%) e Curitiba (2%).