AO VIVO Analisando ações: como fazer trades se você tem pouco tempo para operar

Analisando ações: como fazer trades se você tem pouco tempo para operar

Elaborar currículo em inglês vai além de traduzir o documento, diz especialista

De maneira geral, as empresas não avaliam apenas o nível da língua do candidato, quando pedem um currículo em inglês

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – É comum hoje as empresas pedirem aos profissionais que se candidatam a uma vaga um currículo em inglês. Mais comum ainda é quando as instituições possuem filiais em outros países. Nesses casos, elaborar o documento em outra língua é mais que simplesmente fazer um bom trabalho de tradução, pois as duas versões possuem fortes diferenças.

De maneira geral, as empresas não avaliam apenas o nível de fluência do candidato, quando pedem um currículo em inglês. Se o destino do documento for empresas de outros países, a avaliação terá como foco a objetividade e a clareza.

“A depender do país para onde o currículo será enviado, há muitas diferenças de conteúdo e forma. Entender essas diferenças e saber aplicá-las é o primeiro passo para conseguir a vaga desejada no exterior”, afirmou em nota a coordenadora de interação da EF Englishtown, Vanessa Spirandeo.

Aprenda a investir na bolsa

Se o destino for Estados Unidos, por exemplo, Vanessa destaca que o candidato deve explicar brevemente sua formação superior. Além disso, os norte-americanos gostam de saber se o candidato pratica algum esporte ou mesmo se toca algum instrumento.

Já no Reino Unido, a menção à formação acadêmica só é necessária, caso o profissional tenha experiência de menos de cinco anos na área em que atua. Diferentemente dos recrutadores dos Estados Unidos, os britânicos fogem de modelos. Além disso, gostam que o documento tenha um parágrafo inicial, no qual o candidato fale sobre si mesmo.

No Canadá, os recrutadores gostam de listas de referências, com nomes de pessoas que possam comprovar suas habilidades.

O que colocar no currículo
Vanessa explica que o currículo em inglês deve ser mais direto que o documento em português. Dessa forma, o candidato deve deixar claro qual é o cargo pretendido e especificar as habilidades que servem para a função.

Além disso, eles devem descrever sua experiência profissional de forma pontual, com itens em lista, mostrando reconhecimentos e prêmios recebidos e ilustrar suas conquistas nos cargos ocupados com cifras, números e porcentagens.

Outros detalhes, explica Vanessa, podem fazer a diferença no documento, como incluir palavras de ação ao falar de suas conquistas. Os títulos que devem ser colocados no currículo em inglês são: career objectives; education, technical skills; technical competencies, experience; past employment, awards & accomplishments, interests e references.

PUBLICIDADE

Vanessa sugere até que os candidatos evitem utilizar sujeitos, pronomes possessivos e até artigos. Na hora de listar mais de uma realização em uma só sentença, substitua “and” por ponto-e-vírgula.