Ele quase largou

Dono do Starbucks divide uma lição sobre desistir dos seus sonhos

Ele quase desistiu de ter cafés, seu grande objetivo

SÃO PAULO – Howard Schultz, CEO da maior rede de cafeterias do mundo, quase desistiu de abrir o Starbucks. A revelação foi feita em um vídeo da série Talk To Me, do Huffington Post. A entrevista foi concedida a seu filho.

O episódio teve a ver com a família. Quando sua esposa estava grávida – e era responsável por sustentar a casa – seu sogro o aconselhou a deixar de lado o “hobby” e “conseguir um emprego”. Fazia um ano que Schultz não tinha um salário e os planos da companhia estavam começando a sair do papel.

No vídeo, ele conta que começou a chorar na frente do sogro, por vergonha, e disse à sua esposa que provavelmente o pai dela tinha razão. “Se ela tivesse dito naquele momento ‘sabe, acho que ele está certo, você precisa de um emprego’, eu teria feito isso. Mas ela disse exatamente o oposto: ‘nós vamos seguir esse sonho que você tem, vamos ver acontecer’”, diz o empreendedor.

PUBLICIDADE

O apoio da esposa, na época a dois meses de ter um filho e a única com um emprego pago na casa, foi essencial para que a marca da sereia fosse criada e chegasse onde chegou. A companhia fechou o ano de 2015 com mais de 23 mil lojas ao redor do mundo, e acaba de abrir sua primeira unidade na África.

Schultz também explicou que este também foi o motivo de nunca ter pressionado seus filhos a seguir dentro do Starbucks. “Vocês devem seguir seus próprios sonhos, suas próprias paixões”.

No vídeo, ele também fala sobre tomada de decisões; sobre como é mais fácil agir como vítima e sobre responsabilidades.