Disparidades salariais: veja quais são as causas!

Estudo do Ipea mostra que grande parte da desigualdade de remuneração do trabalho decorre das diferenças de escolaridade entre trabalhadores

SÃO PAULO – Você trabalha bem mais, entra mais cedo e sai mais tarde, mas mesmo assim ainda ganha menos que outro membro da equipe. A causa disso pode estar na formação educacional que o colega possui.

De acordo com o estudo “A recente queda da desigualdade de renda e o acelerado progresso educacional brasileiro da última década”, do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), grande parte da desigualdade de remuneração do trabalho decorre das diferenças de escolaridade.

O estudo é dos autores Ricardo Paes de Barros, Samuel Franco e Rosane Mendonça.

Experiência no mercado

PUBLICIDADE

Além disso, o estudo mostrou que a produtividade intrínseca dos trabalhadores não é determinada apenas pela escolaridade que possuem.

A experiência geral no mercado de trabalho e o posto que ocupam também importa. Consequentemente, parte da desigualdade revelada pelo mercado tem origem nos diferenciais de experiências dos trabalhadores.

“Cerca de 10% da desigualdade brasileira em remuneração do trabalho resultam dessas disparidades”.

Estude

Os dados confirmam que o investimento educacional certamente trará retornos financeiros. Por isso, se sente necessidade de ganhar mais, analise seu orçamento e veja a possibilidade de voltar a estudar. Pense em uma pós-graduação ou em um MBA.

Além disso, os dados confirmam a necessidade do profissional escolher bem os locais onde irá trabalhar, para que adquira experiência relevante.