Diminui a procura pelo curso de jornalismo em universidades federais

Queda se dá justamente no ano em que foi dado fim à obrigatoriedade do diploma para atuar na área

SÃO PAULO – O interesse dos vestibulandos em cursar Jornalismo caiu em 14 universidades federais do Brasil, justamente no ano em que foi dado fim à obrigatoriedade do diploma para atuar na área.

Segundo levantamento realizado pelo Comunique-se, as instituições educacionais que se destacaram pelo baixo índice de procura foram a UFF (Universidade Federal Fluminense), com queda de 27,55 candidatos/vaga em 2009 para 19,50 em 2010, e a UFV (Universidade Federal de Viçosa), que reduziu a proporção de candidatos por vaga de 16,58 para 10,35 no mesmo período.

Em seguida na lista das universidades que mais se destacaram pelo baixo índice de procura, estão a UFPR (Universidade Federal de Pernambuco), a UFPA (Universidade Federal do Paraná), a UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e a UFAC (Universidade Federal do Acre), com uma relação candidato/vaga de 10,9, 15,23, 11,92 e 6,42, respectivamente.

Diploma

PUBLICIDADE

Em junho deste ano, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu que é inconstitucional a exigência de diploma de Jornalismo e registro profissional no Ministério do Trabalho como condição para o exercício da profissão.

Para o ministro do STF, Gilmar Mendes, “o jornalismo e a liberdade de expressão são atividades que estão imbricadas por sua própria natureza e não podem ser pensados e tratados de forma separada”. Para ele, o jornalismo
é a própria manifestação e difusão do pensamento e da informação de forma contínua, profissional e remunerada.

PEC

Na última quarta-feira (2), a CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania) do Senado aprovou a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que exige o diploma para exercício da profissão de jornalista.

Segundo a proposta do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), a habilitação em jornalismo será facultativa somente para profissionais e colaboradores que já estiverem trabalhando com registro profissional na data de publicação da Emenda Constitucional.

A PEC será votada em dois turnos pelo Plenário e, se aprovada, a proposta segue para apreciação da Câmara dos Deputados.