Diferentemente do passado, países emergentes demandam profissionais

Porém, veja as ponderações que devem ser feitas antes de dizer "sim" a uma oferta de emprego nesses países

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As propostas de trabalho no exterior para executivos não se limitam mais a destinos como Estados Unidos, Canadá e Europa. Hoje, países emergentes ou que enfrentam uma condição de vida mais problemática também procuram estes profissionais.

O fenômeno é verificado pelas consultorias de recrutamento de executivos e se difere do que era registrado nas décadas de 1980 e 1990. Antes de aceitar esse tipo de emprego, porém, é preciso levar em consideração alguns pontos, que se relacionam à qualidade de vida e à própria carreira.

Em primeiro lugar, considere que, com o aquecimento da economia brasileira e a valorização do real frente ao dólar e outras moedas, as propostas de emprego no País tornaram-se mais atrativas e equivalentes àquelas feitas para trabalho no exterior.

Aprenda a investir na bolsa

“O Brasil está atraente para os profissionais. Tem alguns mercados bastante aquecidos, como de TI, o financeiro e o da construção civil. Os salários em reais já estão equiparados aos salários em dólar. Se você converter as moedas, já estará no mesmo patamar”, disse o Líder da Prática de Consultoria de Remuneração e Recompensas Totais da Hewitt Associates, Renato Rovina.

Ponderações

Segundo a ARC Executive Talent Recruiting, consultoria de gestão e recrutamento de executivos, antes de aceitar uma proposta para trabalhar em um país emergente, devem ser consideradas as condições de vida oferecidas no local. Em regiões em que há baixa qualidade educacional, é fundamental que os filhos dos profissionais estudem nas melhores escolas.

Se a opção é para ir a um país em conflito ou que esteja enfrentando um momento político/social de transição, é importante analisar uma impecável condição de segurança.

Ainda de acordo com a consultoria, formas criativas de compensação devem ser consideradas, se a expatriação for para locais com possibilidades de desastres naturais, como terremotos e furacões, ou para locais em que a condição urbana de poluição da região seja considerada um fator de risco.

Diante do imprevisível, ter um plano de saúde é fundamental. Neste caso, não é raro as empresas, para reterem talentos, oferecerem o retorno ao país de origem ou a outro centro de excelência, para tratamentos médicos com profissionais de confiança.