pesquisa

Diferença salarial entre homens e mulheres é menor nas pequenas empresas

Homens ganham 44% mais que mulheres em médias e grandes empresas. A diferença que cai para 24% em MPEs

SÃO PAULO – Enquanto nas médias e grandes empresas, os homens ganham 44% a mais que as mulheres, nas MPEs (Micro e Pequenas Empresas) a diferença salarial cai para uma média de 24%. É o que informa uma pesquisa do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômico) e divulgada nesta segunda-feira (23).

A pesquisa, que analisou as informações de empresas lideradas por homens e mulheres entre 2001 e 2011, mostra que a força de trabalho feminina já representa quase 40% dos 15,5 milhões do total com carteira assinada em MPEs. Na última década, a desigualdade nos salários caiu dois pontos percentuais nestas empresas. No mesmo período, ela aumentou 6 p.p. nas médias e grandes.

Para o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, o porte das empresas é uma das principais razões para as diferenças salariais. “Nas grandes corporações, a estrutura organizacional é maior e nem sempre as mulheres ocupam cargos mais altos na hierarquia. Já nos pequenos negócios, o acesso às decisões é mais facilitado e a convivência com os donos das empresas, mais próxima.”

PUBLICIDADE

Crescimento salarial
Ainda de acordo com o levantamento, a remuneração média das trabalhadoras das MPEs cresceu mais do que a do público masculino. Entre os anos de 2000 e 2011, o salário médio real das mulheres aumentou 21%, enquanto que entre os homens o crescimento foi de 18%.

A participação na massa salarial também seguiu a mesma tendência. A soma das remunerações femininas aumentou 250% e, dos homens, 194%. O público feminino também entrou mais no mercado de trabalho durante esse mesmo período. A quantidade de trabalhadoras nas micro e pequenas empresas mais do que dobrou – cresceu 108% –, enquanto a de trabalhadores homens aumentou 67%.