Diferença salarial diminui, mas mulheres ainda recebem 30% menos que os homens

Segundo Unifem, essa disparidade chegava a 50% há dez anos; porém, mulheres continuam enfrentando obstáculos

SÃO PAULO – A diferença salarial entre homens e mulheres vem caindo no Brasil. A boa notícia foi divulgada pelo Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (Unifem) nesta quinta-feira (02).

Diferença salarial caiu de 50% para 30%

De acordo com o estudo, os homens ganhavam até 50% mais que as mulheres no início da década passada, mas hoje essa diferença caiu para 30%.

O levantamento (que estará no livro “O Progresso das Mulheres no Brasil”, a ser lançado na próxima sexta-feira, 3, pelo Unifem) analisa algumas pesquisas que mapeiam a trajetória das mulheres entre 1992 e 2002.

PUBLICIDADE

“Embora tenha havido uma evolução importante, a disparidade mostra que as mulheres enfrentam dificuldades para vencer os obstáculos no mercado”, avalia uma das coordenadoras do projeto, Júnia Puglia.

Para a pesquisadora, o papel da mulher na sociedade brasileira ganhou importância depois da Constituição de 1988. Ela lembra, por exemplo, da lei de cotas (em vigor há quatro períodos eleitorais), que determina um número mínimo de mulheres eleitas para o legislativo federal.

Mulheres têm pouca participação política

“Mas o panorama político no País não incentiva a população a votar em mulheres“, acredita Puglia. “Seria muito importante do ponto de vista da representatividade feminina que elas tivessem maior sucesso na carreira política”.

Além do livro da Unifem, o acesso à publicação será ampliado por meio de uma página na internet com o conteúdo, análises, artigos e tabelas sobre a pesquisa.

Com informações da Agência Brasil.