Dieese: valores dos pisos salariais se aproximam do salário mínimo

O setor de Serviços é responsável pelos melhores pisos pagos. Nesse segmento, 20,9% dos pisos superam dois mínimos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O piso salarial negociado no primeiro semestre deste ano se aproximou do salário mínimo oficial. A análise é do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos), que divulgou, nesta quinta-feira (28), sua pesquisa sobre o comportamento dos pisos salariais referentes ao primeiro semestre do ano.

Os pisos são responsáveis pela elevação do patamar salarial brasileiro. Para isso, no entanto, o piso de cada categoria é definido por convenção coletiva por meio de negociações entre empregadores e sindicatos.

Piso único

Entre janeiro e junho deste ano, por exemplo, 21,8% das negociações decidiram por um único piso para todos os trabalhadores, mas 63% das convenções coletivas escolheram que a melhor forma de definir o salário a ser pago é baseando-se na função de cada um. Definir o piso por tempo de serviço, tamanho da empresa e localidade foi a decisão de 29,9% das negociações*.

Aprenda a investir na bolsa

A definição dos salários, em muitos casos, leva em consideração o mínimo oficial, hoje em R$ 350. A pesquisa informa que cerca de 79,1% dos pisos estão entre 1 e 1,75 salários, enquanto em apenas 3,8% dos casos os pisos superam três salários.

Maiores salários

No Comércio, esse percentual é de 19,4% e, na Indústria, ele não passa de 3,7% dos casos.

Se for feita uma média, constata-se que o maior de todos os pisos também fica com o setor de Serviços, cuja média em 2005 é de 1,63 salário. Esse nível é menor no Comércio (1,62) e na Indústria (1,34).

Ramos de trabalho

O maior salário base em Serviços é pago pelo ramo de Saúde (R$ 1.755,60). No Comércio, o salário mais vantajoso está no ramo de Minérios e Derivados de Petróleo (R$ 943,40), enquanto entre os industriais, o melhor piso fica com Construção e Mobiliário, que remunera em R$ 825,00.

Valendo-se desses dados, o Dieese chegou à conclusão de que os pisos salariais estão se aproximando do salário mínimo. “Essa proximidade decorre dos ganhos reais aplicados ao salário mínimo oficial, que não têm sido incorporados aos pisos salariais negociados”, destaca o Dieese em nota.

Mínimo ideal

Pensando nisso, o Departamento Intersindical projeta mês a mês um salário mínimo ideal para cobrir as necessidades previstas na Constituição Federal. A média para os seis primeiros meses do ano ficou em R$ 1.617,00 (4,62 salários mínimos), o que evidencia a defasagem não só do mínimo como dos pisos salariais.

PUBLICIDADE