Dieese: 77,6% dos reajustes salariais foram acima da inflação em 2008

Conforme apurou a entidade, as negociações feitas no ano passado apresentaram resultados inferiores em relação a 2007

SÃO PAULO – As negociações salariais feitas no ano passado apresentaram resultados ligeiramente inferiores aos apurados em 2006 e 2007. Isso porque 77,6% delas conseguiram reajustes acima dos índices de inflação, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira (12) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos). Em 2007, foi obtido o recorde, de 87,7%.

Além disso, o percentual de negociações que garantiram aumentos inferiores à inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) subiu de 4% em 2007 para 11,9% em 2008.

Neste quesito, houve queda considerável em relação ao início da série histórica, em 1996, quando o percentual era de 44,2% do total.

Índice dos reajustes

Conforme apurou o Dieese, 63,4% das 706 negociações analisadas resultaram em reajustes salariais de até 2% acima da inflação e apenas 1% garantiu aumentos acima de 4% do INPC. Na tabela a seguir é possível verificar todos os percentuais de reajustes:

Quantidade de negociaçõesParticipação no totalPercentual de reajuste
20,3%mais de 5% acima da inflação
50,7%de 4,01% a 5% acima da inflação
284%de 3,01% a 4% acima da inflação
659,2%de 2,01% a 3% acima da inflação
20228,6%de 1,01% a 2% acima da inflação
24634,8%de 0,01% a 1% acima da inflação
7410,5%igual à inflação
7310,3%de 0,01% a 1% abaixo da inflação
91,3de 1,01% a 2% abaixo da inflação
10,1%de 2,01% a 3% abaixo da inflação
10,1Mais de 5% abaixo da inflação
706100%Total

Fonte: Dieese

Destaque para a Indústria

Entre os setores da economia analisados, o que mais teve negociações que resultaram em reajustes acima da inflação no ano passado foi a Indústria, com 87%. O Comércio ficou com 85% e os Serviços, com 61%.

Por outro lado, o segmento de Serviços apresentou 21% de negociações que consederam aumentos salariais abaixo do INPC, contra 10% do Comércio e 6% da Indústria.