Dia do contabilista é comemorado em meio a mudanças na legislação

Contabilidade brasileira ganhou mais referência com a nova lei 11.638/2007, além de entrar na rota internacional

SÃO PAULO – Os mais de 500 mil contabilistas em todo o País comemoram nesta segunda-feira (25) o dia dedicado à profissão. No atual cenário, a contabilidade brasileira ganhou mais referência com a nova lei 11.638/2007 (sobre demonstrações financeiras), além de entrar definitivamente na rota internacional, com a adoção das IRFS (International Financial Reporting Standards).

No Brasil, contudo, as áreas de atuação desse profissional são amplas. Dentro de uma empresa, por exemplo, o contabilista pode atuar como planejador tributário, analista financeiro, auditor profissional de contabilidade e contador de custo. Outra posição, denominada “controller”, também vem ganhando força.

O professor de ciências contábeis da Trevisan Escola de Negócios, José Geraldo Basante, lembra ainda de outras áreas que este profissional pode seguir. Segundo ele, oportunidades no mercado de trabalho não faltam. “São várias as posições a serem preenchidas. O contabilista pode ter a sua própria empresa ou até mesmo ser um professor”.

PUBLICIDADE

De acordo com Basante, as empresas são as que mais demandam profissionais da área contábil. Ele diz que, até a década passada, o foco das companhias estava em obter lucro, ao passo que o objetivo hoje é controlar gastos.

Território
No Brasil, o Sudeste concentra as principais oportunidades de trabalho, pelo fato de centralizar os maiores conglomerados das empresas. Segundo o professor, o salário, tomando-se como base apenas a categoria de contador, varia de R$ 8 mil a R$ 15 mil.

O profissional deve ter, no mínimo, curso superior de ciências contábeis. É importante acumular conhecimento em mais de uma lígua, além de ter uma especialização na área. Basante sustenta que a idade avançada do contabilista, em determinados casos, pode se traduzir em experiência benéfica.

Novas regras
A adoção das IRFS está trazendo um avanço tecnológico e informacional livre das barreiras do tempo e distância. Na avaliação do presidente do CRC-SP (Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo), Domingos Orestes Chiomento, as normas internacionais serão cruciais para a contabilidade no País.

“Essas normas, depois de completamente implantadas, estabelecerão e consolidarão a Contabilidade como um instrumento de controle das empresas e dos órgãos governamentais. Com a entrada dessas regras, houve uma verdadeira reviravolta na profissão, afinal elas estão estimulando profissionais e estudantes a estudarem sobre o assunto, se adaptando o mais rápido possível para conscientizar os empresários a modificarem os procedimentos operacionais internos que influenciam no processo de contabilização”, afirma Chiomento.

Futuro
O crescimento dos investimentos estrangeiros, a formação dos blocos econômicos e a tecnologia trouxeram novas perspectivas para os profissionais de contabilidade, na opinião de Chiomento.

“Hoje, o contador não pode mais olhar o seu entorno e achar que é suficiente fazer uma contabilidade voltada somente para o lado regional. Muitas empresas, de pequeno e médio porte, estão trabalhando com comércio internacional e, por isso, é necessário refletir, principalmente nesse momento de convergência para as Normas Internacionais de Contabilidade”, completa o presidente do CRC-SP.