Dia-a-dia no trabalho: como evitar aquele sono depois do almoço?

Nutricionista orienta profissionais a não comerem além do necessário, pois será destinada muita energia para digestão

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Todo o dia, depois do almoço, bate aquele sono, o que é de se esperar, tendo em vista a rotina de muitos profissionais brasileiros: muito trabalho e pouco descanso. Porém, existe algo que pode ajudar a combater a sensação, sua alimentação!

Durante os dias da semana, a quantidade que comemos, principalmente na hora do almoço, deve ser menor, o que ajuda a amenizar a sensação. De acordo com a nutricionista da Clínica Contato, Juliana Garcia, quando se come mais do que o organismo precisa, grande parte da energia é usada para a digestão, fazendo com que o metabolismo fique mais lento.

“As refeições devem ser fracionadas durante o dia em quatro ou cinco porções menores. Isso irá evitar que a pessoa sinta muita fome, coma muito rápido e muito mais do que precisa”.

Cuidado com o café!

Aprenda a investir na bolsa

Se você é daqueles que toma café para fugir do sono, cuidado! “O café e o chá preto são ricos em polifenóis e, quando consumidos logo após as refeições, a absorção de nutrientes como o ferro pode ser prejudicada”, disse a especialista.

O conselho que fica é que se espere de uma hora a uma hora e meia depois do almoço para tomar um café.

Alimentação

De acordo com Juliana, é preciso cautela na hora de preparar o prato. Uma refeição saudável deve ter alimentos energéticos (arroz e macarrão, por exemplo), construtores (carnes e leguminosas) e reguladores (hortaliças, legumes e frutas).

“Os energéticos devem representar 25% da comida, os construtores também 25% e os outros 50% dos alimentos escolhidos devem ser da classe dos reguladores”, orientou a nutricionista. Veja abaixo algumas dicas para adaptar o prato ao seu paladar:

  • Gosta de massas? A dica é escolher entre ela ou o arroz. Prefira um molho mais nutritivo e menos gorduroso, como o vermelho;
  • Não resiste às frituras? Então, elimine o consumo a alguns dias da semana. Nestes dias, reduza a quantidade de carboidratos ao prato;
  • Não dispensa um refrigerante? Os de máquina devem ser evitados, bem como os sucos da mesma fonte. “O nosso corpo é feito de nutrientes e não de substâncias químicas. Esses produtos são ricos em acidulantes, corantes artificiais, estabilizantes, ou seja, em substâncias que nosso corpo não aceita, portanto são extremamente prejudiciais à saúde”. Fora o açúcar que possuem;
  • Termina sempre na sobremesa? A dica é procurar determina um dia da semana para consumí-la. “Geralmente, as sobremesas são riquíssimas em açúcares, gordura e calorias”.