Desconforto no trabalho? Problema pode estar na iluminação

Para especialista, ambiente mal iluminado pode induzir o profissional ao erro, já que o funcionário fica cansado

SÃO PAULO – Dores de cabeça? Sonolência? Erros frequentes? Estes são alguns dos desconfortos que podem acometer profissionais que trabalham em ambientes mal iluminados, segundo informa o diretor-geral do escritório Luiggi Contini, especializado em soluções e gerenciamento de obras, Gustavo Saguia.

“Um ambiente mal iluminado pode induzir o trabalhador ao erro, já que o funcionário fica cansado, tem dor de cabeça, entre outras coisas. Já o contrário, um ambiente com a iluminação adequada, torna a produtividade dos funcionários ainda maior”, diz.

Qual a quantidade de luz correta?
De acordo com Saguia, a quantidade ideal de iluminação varia de acordo com as cores das paredes. Entretanto, uma boa medida é de 500 lux/m2 sobre o plano de trabalho, sendo lux a unidade fotométrica usada para medir a quantidade de iluminação.

PUBLICIDADE

A distribuição da iluminação também deve ser motivo de atenção, pois um posicionamento incorreto de lâmpadas e luminárias, por exemplo, pode gerar ofuscamento nas superfícies refletoras, como telas de computador, e assim prejudicar o desempenho do colaborador. Dessa forma, a soma de 16 watts por metro quadrado é a melhor opção.

No que diz respeito às cores das lâmpadas, as mais indicadas para um escritório, por exemplo, são as luzes frias fluorescentes tubulares, do tipo T8 e T5, que tornam melhores as condições visuais. Por outro lado, em uma recepção, por exemplo, as incandescentes amarelas são as mais apropriadas, já que remetem à sensação de conforto.