Desapontado com a promoção que não se oficializa? Saiba o que fazer

Se o seu chefe prorrogou mais uma vez aquela promoção, não perca tempo! Reflita sobre os fatos e mude esse cenário

SÃO PAULO – Diferentemente do anunciado, a promoção não tem início no dia informado pelo gestor; pelo contrário: na véspera do tão esperado momento, o colaborador simplesmente é notificado que sua promoção precisou ser prorrogada mais uma vez.

A situação descrita acima pode parecer incomum, mas atualmente se mostra uma realidade bem familiar para muitos profissionais, especialmente para aqueles que trabalham em grandes corporações.

Seja frio!
Mas antes de sair atirando pedras por aí ou mesmo de desperdiçar seus últimos momentos em lamentações sem fim, lembre-se: colocar os pés no chão e analisar friamente a situação pode ser o mais apropriado para entender o que está ocorrendo e mudar tal cenário.

PUBLICIDADE

De acordo com a diretora executiva da Ricardo Xavier, Sônia Helena Garcia, uma primeira prorrogação pode ser ocasionada por fatores internos da empresa e, conforme os argumentos apresentados pelo gestor, até merece ser relevada.

“Em uma primeira ocorrência, acredito que é possível dar um voto de confiança ao superior, mas sempre fique atento ao mercado e à empresa. Contudo, se isso ocorrer mais vezes, o profissional deve procurar outro trabalho, pois a relação de confiança entre o colaborador e a empresa já terá sido quebrada”, aconselha.

Os motivos
São vários os motivos que causam esta quebra de confiança. Entre eles, destacam-se principalmente as mudanças administrativas e a má gestão da empresa. Para o consultor associado da Muttare, Marcos Moreno, o segundo item costuma ser o mais problemático.

“Quando uma promoção é vetada, tanto o gestor quanto o profissional precisam ser informados sobre os motivos que ocasionaram tal impedimento. O problema, no entanto, é que nem todos os líderes se empenham nesta tarefa e acabam não indo atrás ou repassando a informação aos seus colaboradores de forma correta”, explica.

Segundo ele, a falta de comunicação indica um problema sério de gestão, e isso precisa ser resolvido. “Uma empresa em que os processos são mal escritos, as palavras são desditas, é uma corporação que não tem palavra, que não possui credibilidade”, informa Moreno.

Mas o que fazer?
Os profissionais insatisfeitos com a empresa em que atuam devem, antes de procurar a concorrência, tentar solucionar o problema internamente, procurando respostas com os superiores imediatos.

PUBLICIDADE

“Ele deve pedir explicação ao líder direto. Se ele não for capaz de atendê-lo ou de tomar uma providência, o profissional deve subir o nível hierárquico e pedir explicações ao gestor acima dele. Caso isso não tenha efeito, daí sim, deve buscar o respaldo do sindicado para a situação”, aconselha Moreno.

Sônia, da Ricardo Xavier, dá uma recomendação diferente. Para ela, o melhor seria que os profissionais já partissem em busca de um novo emprego, sem, com isso, sacrificar seu trabalho atual.

“Se o colaborador perceber que a empresa está enrolando para não perdê-lo, que as promoções nunca se concretizam, ele deve procurar outro emprego. O ideal é que parta em busca do próprio crescimento profissional e tome uma atitude o quanto antes”, aconselha.