Brasil

Demissões em montadoras podem respingar em concessionárias, diz Fenabrave

O dirigente disse, contudo, que a piora não deve ser grande, pois o setor já vem se "adequando" ao novo cenário econômico nos últimos dois anos

arrow_forwardMais sobre

As demissões nas montadoras de veículos brasileiras poderão impactar nos empregos nas concessionárias, reconheceu o novo presidente da Federação Nacional da Distribuidores de Veículos Automotores (Fenabrave), Alarico Assumpção Júnior, nesta terça-feira, 6. “Claro que essas demissões nas montadoras pioram o cenário para as concessionárias. Se você produz menos, você vende menos”, afirmou, ponderando que o impacto vai depender de cada grupo empresarial.

 

O dirigente disse, contudo, que a piora não deve ser grande, pois o setor já vem se “adequando” ao novo cenário econômico nos últimos dois anos. Questionado, ele não soube precisar quantos empregos foram cortados nas redes nesse período, informando apenas que o setor tem atualmente 409 mil trabalhadores nas redes de distribuição.

PUBLICIDADE

 

Assumpção fez questão de considerar ainda que, apesar do cenário ruim, o número de concessionárias aumentou no ano passado para 8 mil, ante aproximadamente 7,6 mil no ano anterior. Para 2015, ele afirmou que sua “opinião pessoal” é de que esse número não deve cair.

 

Nesta terça-feira, 6, a Volkswagen confirmou a demissão de 800 funcionários na fábrica de São Bernardo do Campo, em São Paulo. Com a decisão, trabalhadores resolveram entrar em greve por tempo indeterminado. Fontes ouvidas pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, afirmam que outras fábricas também devem anunciar demissões neste início de ano.