Demanda por emprego temporário cresce 16% no primeiro semestre

Facilidade na contratação e possibilidade de efetivação faz com que a procura por um trabalho temporário cresça

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A facilidade de fazer o recrutamento e a demanda urgente por mão-de-obra fazem que cada vez mais empresas optem por realizar contratos temporários de trabalho.

Segundo a agência de recrutamento Gelre, a demanda por esse tipo de empregado aumentou 16% no primeiro semestre deste ano, crescimento que deve ser ainda mais intenso no segundo semestre, devido a datas comemorativas como o Dia das Crianças e o Natal.

Vantagens

“Para a empresa, a vantagem é no custo, já que o trabalhador não tem aviso prévio e tem a possibilidade de pegar pessoas que estão acostumadas a fazer esse tipo de trabalho”, afirma a diretora de operações da Gelre, Cíntia Fontoura, que também acredita que o trabalho temporário é uma ótima forma de treinamento do funcionário.

Aprenda a investir na bolsa

Além disso, a terceirização do processo de recrutamento e seleção também pode ser vantajosa para uma empresa, principalmente caso a empresa não tenha filiais e vá realizar um trabalho em outra cidade. Segundo a diretora de operações, isso evita que alguém da empresa tenha que realizar viagens, além de agilizar a contratação, que pode ser feita de forma mais rápida.

Entre os setores em destaque no primeiro semestre, está construção civil, com uma demanda forte por empregados temporários. “Serviços também é um dos setores que tem avançado muito”, afirma.

Chance de entrar no mercado

Porém, não são somente as empresas que podem ganhar com isso. Para Fontoura, o emprego temporário é uma forma daquelas pessoas que estão desempregadas buscarem uma recolocação no mercado. “Também é uma porta de entrada para quem não tem experiência, principalmente os jovens”, considera.

A diretora de serviços da agência, Marcilei Brunkhorst, também explica que, embora não tenha aviso prévio, esse trabalhador dispõe dos mesmos benefícios que um empregado fixo, como carteira assinada ou 13º salário. “Tem também a possibilidade de ser efetivado”, diz. Segundo ela, 30% das pessoas contratadas como empregadas temporárias são efetivadas no fim do período.

Outra facilidade desse tipo de emprego está no processo de seleção, que costuma ter menos candidatos do que para uma vaga de trabalhador efetivo.

Regiões e períodos

Neste ano, as regiões com maior crescimento na demanda por empregados temporários são a Sudeste e a Nordeste. Segundo Fontoura, a primeira é a que alavanca os negócios, enquanto a segunda apresenta um crescimento considerável, com o investimento de muitas empresas.

PUBLICIDADE

Sobre o período em que esse tipo de trabalhador é mais procurado, Fontoura afirma que a demanda ocorre durante todo o ano. “A Páscoa, por exemplo, emprega, no varejo, em abril, mas na indústria a procura é feita em outubro”, diz.