Dedicação extra pode transformar trabalho temporário em emprego fixo

Em busca de trabalho efetivo, profissionais se esforçam para ganhar pontos enquanto ainda prestam serviços temporários

SÃO PAULO – Para tentar conquistar uma vaga permanente no mercado de trabalho em 2012, muitos brasileiros têm apostado nas contratações temporárias de fim de ano. E, verdade seja dita, esforços para isso não faltam, especialmente no que diz respeito às tentativas de agradar aos seus superiores.

“Os profissionais possuem um prazo muito curto, que é o da contratação temporária, para mostrar seu talento aos empregadores e precisam aproveitar tal período ao máximo”, aconselha a gerente de Recursos Humanos da Personal Service, Alexandra Visconti Morgado.

Aliás, segundo ela, é justamente nesta ocasião que eles devem se fazer notar em uma empresa. “Para ser efetivado em uma organização, os funcionários devem realizar seu trabalho de forma profissional, de modo que a atenção do empregador se volte para eles de forma positiva”, detalha Alexandra.

PUBLICIDADE

Qualificações
A dedicação extra e o talento nato figuram como as principais qualificações de um trabalhador que deseja ver seu emprego temporário se transformar em uma oportunidade fixa.

“Dedicação extra, pois é preciso se empenhar no curto prazo, que é o da contratação temporária para conquistar um emprego. E talento, pois de nada adianta tentar executar uma atividade da qual não se possui vocação para tal”, orienta o consultor em Gestão de Pessoas, Eduardo Ferraz.

Na opinião dele, por exemplo, uma pessoa tímida não seria bem-sucedida em uma atividade que envolvesse o público, assim como alguém extremamente extrovertido também não se sairia bem, se fosse contratado para trabalhar em um escritório fechado.

“É importante não forçar a natureza de um profissional e identificar quais são os pontos fortes de cada um”, orienta o consultor.

Pontos fortes
São considerados pontos fortes os comportamentos sociais que podem ser aplicados na carreira de forma positiva, como a comunicação, o trabalho em equipe, a liderança, entre outros. Já os comportamentos considerados inadequados precisam ser avaliados com cautela, pois nem sempre podem ser enquadrados de forma negativa, podendo variar conforme o ponto de vista do gestor que analisa a função.

“Ser desconfiado pode ser um talento em algumas empresas, especialmente naquelas em que desconfiar seja um pré-requisito para a contratação de um profissional, como um auditor, por exemplo”, orienta Ferraz.

PUBLICIDADE

Sem vagas
Mas se, apesar de tantos esforços, aquela tão esperada vaga efetiva de fato não ocorrer após a demanda de fim de ano, não desanime ou faça cara feia, afinal, muitas empresas realmente esgotam seus recursos e, infelizmente, não apresentam condições de contratar novas pessoas para sua equipe.

“Existem lojas que não possuem vagas em um momento, mas que podem apresentar outras oportunidades em um futuro próximo. Além disso, um bom networking pode abrir portas para boas indicações. Por isso, mantenha a postura e não desanime se uma vaga temporária não se tornar fixa”, aconselha Alexandra.