Décimo terceiro: antecipar o benefício exige cuidados

Bancos estão com linhas de crédito de antecipação do benefício reabertas, mas é preciso ter tudo na ponta do lápis para não sair no prejuízo

SÃO PAULO – Dinheiro extra ajuda em qualquer momento. No entanto, na hora de optar por antecipar benefícios, como a restituição do Imposto de Renda e o 13º salário, é preciso atenção redobrada, para não errar nos cálculos e acabar tendo prejuízo.

As instituições bancárias estão com suas linhas de crédito reabertas para antecipar o abono natalino. “Antecipar um benefício só deve ser feito em casos extremos”, aconselha o professor de Finanças Pessoais da FGV (Fundação Getulio Vargas), Fábio Gallo, acrescentando que, ao fazer o empréstimo, o consumidor está contando com um dinheiro que pode não receber.

“Você pode receber um valor aquém do que calculou e ainda há o risco de você não conseguir o dinheiro ou mesmo ser demitido”, explica. “Daí, se você não poupou, poderá ter mais dívidas, a que fez e a do empréstimo”.

Juros ainda são altos

PUBLICIDADE

Gallo explica que, mesmo em situações extremas, é necessário tomar cuidado, já que, apesar da queda da taxa básica de juro (Selic), as taxas de empréstimo ao consumidor ainda são muito altas. “Para se ter uma ideia, com um juro de 2,5% ao mês, com a Selic a 8,5% e uma inflação a 4,5%, você acaba pagando 19% ao ano de juro real”, calcula.

Para o professor, o ideal sempre é ter um orçamento equilibrado, para não precisar antecipar benefícios incertos. Ele aconselha que o consumidor siga um sistema que ele chamou de ABCD, em que o A são os gastos com a alimentação da família, o B, os gastos básicos obrigatórios, o C, os gastos contornáveis, aqueles que você pode cortar em uma emergência, e o D são os gastos desnecessários, os primeiros que saem da lista, na hora de apertar o orçamento.

O professor aconselha a colocar o pagamento das dívidas como obrigatórios. No entanto, não vale a pena antecipar um benefício para fazer isso. “Não tem sentido, você pode acabar fazendo ainda mais dívidas, sem necessidade”. E aconselha: “Uma pessoa organizada financeiramente vive melhor”.

Condições das instituições

Se os cálculos estão na ponta do lápis e você tem certeza de que antecipar o 13º vale a pena, então, fique de olho nas condições que os bancos oferecem para essa linha de crédito. É importante lembrar que, para pegar o empréstimo, é preciso ser correntista da instituição:

  • Banco do Brasil: antecipa até 80% do valor total. A quitação deve ocorrer quando for liberado o 13º ou no dia 15 de janeiro de 2010, o que ocorrer primeiro, e a instituição financeira aplica uma taxa de juros de 2,59% ao mês. Aposentados e pensionistas do INSS que tenham o benefício creditado no banco podem antecipar até 50% do abono. O vencimento para eles será em dezembro;
  • Bradesco: o banco antecipa até 100%, com juros que variam entre 2,95% e 3,95% ao mês. O prazo para pagamento vai até o dia 20 de dezembro e a contratação vai até 4 de dezembro;
  • Caixa Econômica Federal: o limite para contratação varia de 90% a 75% do valor do décimo terceiro, dependendo do prazo de contratação, que pode ser de, no mínimo, 120 dias e, no máximo, 330 dias. As taxas de juros mensais variam de 2,06% (para quem já realizou a linha no ano passado) a 2,11% (para quem vai utilizá-la pela primeira vez), o valor mínimo de concessão é de R$ 190 e o máximo, de R$ 20 mil. O pagamento deverá ser em parcela única, no vencimento do contrato;
  • HSBC: o banco antecipa até 50% do valor do décimo terceiro e a contratação pode ser feita até 11 de dezembro. A taxa de juros é de 2,80% ao mês, e os valores mínimo e máximo de contratação são de R$ 300 e R$ 10 mil, respectivamente. O pagamento deve ser feito na data de recebimento do abono ou até o dia 18 de dezembro.
  • Itaú: na instituição, é possível antecipar o décimo terceiro salário com valor mínimo de R$ 80 e máximo de R$ 5 mil, com taxas de juros entre 3,3% e 4,83% ao mês. A quitação, em parcela única, deve ser feita até o dia 18 de dezembro. A data-limite de contratação é 30 de novembro.
  • Santander e Real: as instituições antecipam até 80% do valor total do abono, com taxas de juros a partir de 2,95% ao mês. O valor mínimo da linha de crédito é de R$ 100, e o pagamento da antecipação deverá ser feito com o recebimento da parcela do 13º salário, com prazo máximo no dia 18 de dezembro. A linha está sujeita à análise de aprovação de crédito.