De amador a profissional: mercado de ações é opção de carreira para traders

A possibilidade de estabelecer a própria rotina e os próprios ganhos é o que atrai investidores a atuarem só com o mercado

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Alocar recursos em ações pode ser mais que uma opção de investimento. Para quem entende de assunto, o mercado de capitais também pode ser mais uma alternativa de carreira. Não é de hoje que muitos traders mudam suas vidas profissionais para trabalhar para si mesmos, apenas operando no mercado.

E mudanças não foram poucas na carreira do hoje trader profissional André Antunes, de 28 anos. De oficial de Infantaria do Exército para gerente de Tecnologia, a rotina deu uma guinada. Para se tornar um trader profissional, contudo, ele deu apenas um passo, porque atuava com TI em uma corretora. Nesse período, André sequer investia em ações. Ele começou a se interessar pelo assunto aos poucos, para entender o negócio para o qual trabalhava. “Não tinha pretensões como investidor. Mas vinha aprimorando meus conhecimentos no mercado de capitais através de cursos e certificações especificas”, conta.

Os conhecimentos que acumulou, somados a uma oportunidade, fizeram com que o gerente de TI deixasse a área e trabalhasse para ele mesmo. “O trader profissional é um profissional autônomo e que tem o objetivo de operar apenas para ele mesmo”, afirma o gerente de Marketing da Interfloat, Otávio Ulisses de Araújo Sant’Anna, que dá palestras sobre o papel dos traders profissionais.

Aprenda a investir na bolsa

Ele explica que um trader profissional só atua no mercado de ações e se sustenta com isso. “Ele tem de acompanhar o mercado o tempo todo”. O que é muito diferente do trader “amador”. “Esse não está ativo o tempo todo e tem outra atividade que o sustenta”, explica Sant’Anna. Além disso, o trader profissional, diferente do “amador”, é especializado. “Cada um tem sua própria técnica e modelo que fazem sentido. Os profissionais são muito especializados. Eles têm um objetivo específico, bem diferente do investidor de longo prazo, que precisa diversificar”.

Liberdade x Empenho
Quando Antunes resolveu se sustentar com a bolsa, ele já não tinha mais expectativas de carreira na área de TI. “Nessa área, eu já tinha atingido meus objetivos de carreira”, afirma. “O que me levou a virar um trader profissional foi a liberdade de não depender de chefe nenhum”, conta. “A partir dessa escolha, sabia que tudo dependeria apenas de mim. Era eu contra eu mesmo”.

A transição de carreira, para Antunes, foi natural, mas necessitou de um bom planejamento. “Eu formei um caixa financeiro de seis meses de contas pagas”, calcula. Para Sant’Anna, se tornar um trader profissional exige mais que um planejamento financeiro. “Como o objetivo dele é muito específico, ele tem de conhecer bem o ativo que ele escolheu para trabalhar”, afirma.

E para isso a disciplina é essencial. “A disciplina do trader profissional é maior que a disciplina do amador. Ele tem que se manter firme no jogo e mesmo que ele tiver prejuízo, ele tem de continuar, porque é disso que ele vive”, afirma. Se manter firme no jogo é o que Antunes mais aprende desde que se tornou trader profissional, em 2008. “No começo, o mais importante foi aprender a perder”, conta.

Flexibilidade e retornos
Sant’Anna explica que assim que passa a operar de maneira profissional, o trader começa a ver retorno entre seis meses e um ano. Mas tudo dependerá da disciplina e do ativo. “Os cursos não serão suficientes. A prática e a vivência é que moldarão esse profissional, pois cerca de 70% do resultado de um trader decorre do aspecto emocional, do controle do risco”.

Para Antunes, o retorno veio alguns meses após muitas perdas. “Pensei em desistir mais de cinco vezes”, conta. Passado o susto, ele diz que a liberdade de atuar no mercado para ele mesmo já lhe traz ganhos maiores do que o que ele tinha quando era gerente de TI. Apesar da possibilidade de fazer um horário bem flexível, Antunes opera em horário comercial. “A rotina depende de como está o mercado, mas não me prendo a ela”, afirma. Tanto que, se o tempo tiver bom, ele desce a serra rumo a uma onda perfeita para surfar…no meio da semana.

PUBLICIDADE

Erros
Tudo parece bom na rotina de um trader profissional. Mas não é bem assim. “Muitos começam pensando que vão ganhar dinheiro logo e não se prendem a um plano de ação. Isso é um erro”, afirma Sant’Anna. “Excesso de ganância e de otimismo são os erros mais comuns de quem entra no mercado”, afirma.

Se dar bem nessa área, para o especialista, requer uma boa dose de bom senso. “Ele precisa entender que ele não vai ganhar sempre e precisa saber exatamente o que quer, definir sua escolha de carreira”.