Curso técnico propicia formação rápida e mais em conta, porém completa

Custo mais em conta, preparação compatível com o mercado de trabalho e tempo menor de duração são vantagens

SÃO PAULO – O curso técnico tem seus pontos fortes ante a graduação tradicional. Alguns deles são o desenvolvimento de competências, a preparação para o mercado de trabalho, o custo geralmente mais em conta das mensalidades e o tempo menor de duração.

Isso significa que se trata da melhor opção para quem tem pressa e pouco dinheiro para investir, o que leva pessoas de todas as idades a tentar uma vaga em uma das 177 escolas técnicas de todo o País (dado do Ministério da Educação) ou universidades que oferecem cursos do gênero.

Mas essas vantagens não implicam a falta de qualidade dos cursos. “O curso técnico é uma capacitação centrada tanto em competências gerais quanto em específicas da habilitação técnica de nível médio, definidas com base na análise do processo de trabalho e no respeito a valores éticos, mantendo compromisso com a qualidade, a ciência, a tecnologia e as práticas sociais”, diz a gerente do Senac Ribeirão Preto, Eliane Godoi.

Oportunidade

PUBLICIDADE

Para ela, uma das características mais importantes do curso técnico é proporcionar ao aluno oportunidades concretas de emprego, por estar mais próximo da realidade do mercado de trabalho.

“Acompanhamos as demandas de contratações e sabemos que sobram vagas nas empresas, pois uma das exigências fundamentais é a boa formação”, explica.

A maioria dos cursos técnicos preza pela atualização constante da grade curricular e dos métodos de ensino. Para a gerente, eles promovem o autodesenvolvimento crítico, para que o aluno possa propor inovações, identificar e incorporar novas tecnologias e ferramentas de trabalho, além de responder com flexibilidade e criatividade às situações cotidianas, que, às vezes, são imprevisíveis.

“Hoje em dia, exige-se que o profissional gerencie seu processo de trabalho, sua função e sua produção com práticas inovadoras e autônomas”, garante Eliane.

Escola técnica

Quem tiver interesse em ingressar em uma escola técnica precisa ficar atento, de acordo com o Ministério da Educação. Em muitos estados, as inscrições referentes ao ano letivo de 2008 já estão abertas.

No caso das escolas técnicas, o coordenador de supervisão da rede federal de educação tecnológica do Ministério da Educação, Gleison Cardoso Rubim, disse, em entrevista para A voz do Brasil, que os cursos são gratuitos e exigem que o aluno tenha o ensino médio em curso ou concluído.

“A partir dos 14 ou 15 anos, já podemos ter pessoas entrando nas escolas técnicas para cursar essa formação. Terminado o curso técnico de nível médio, a pessoa pode ingressar no mercado de trabalho, mas pode também prosseguir os seus estudos em grau superior”, afirmou.

O número de vagas muda de escola para escola, mas vai de 200 a 1.700 vagas. Entre os cursos oferecidos, estão os de técnico em telecomunicações, eletrônica e informática.