CSN: trabalhadores estão em estado de greve, mas operações não são afetadas

Os trabalhadores reivindicam ajustes salariais, e aguardam negociação; segundo companhia, há previsão para um encontro

SÃO PAULO – Os trabalhadores da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) ameaçam entrar em greve nesta segunda-feira (28). Os operários trabalhavam normalmente até o fim desta manhã, segundo a assessoria de imprensa da companhia.

O sindicato dos trabalhadores aguarda nova rodada de negociação para discutir reajustes salariais. A categoria reivindica um maior aumento real e um plano de recuperação de perdas inflacionárias, além de cláusulas sociais como bolsas de estudos e gratuidade em hospital e escola técnica da CSN.

Segundo o sindicato dos metalúrgicos, com o fim da desindexação salarial e a livre negociação, depois do Plano Real, a CSN passou a reajustar os salários abaixo da inflação.

Estado de greve à espera de negociação

PUBLICIDADE

Desde a última quinta-feira (24), os trabalhadores estão em estado de greve, depois de recusarem uma proposta da empresa. Desta forma, fica a cargo do sindicato decidir pela greve ou não, sem a necessidade de realização de nova assembléia com os trabalhadores.

Apesar de nenhuma reunião estar agendada até o início da manhã desta segunda-feira, a assessoria de imprensa da CSN afirmou que um encontro com o sindicato será realizado.

A empresa tem um plano de contingência para manter operações, em caso de paralisação, o que garantiria a operação de altos-fornos e aciaria. O sindicato garantiu trabalhadores a estas seções.