Crise americana impulsionará procura por profissionais com perfil operacional

Momentos de turbulência exigem das pessoas a capacidade para mostrar o resultado prático de atuação no curto prazo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Com a crise da concessão de crédito trazendo aos mercados globais o forte temor de que os EUA possam passar por um período de recessão, cresce a importância dos profissionais de alto nível que possuem um perfil mais operacional, bem diferente do que foi requisitado no ano passado.

De acordo com o sócio da A2Z Consultores, Felipe Assumpção, os momentos de turbulência necessitam de pessoas aptas a demonstrarem a aplicabilidade e o resultado prático de sua atuação no curto prazo. “Ou seja, aqueles com aptidão para tornar as empresas mais ágeis, com capacidade para reduzir custos e despesas em curto espaço de tempo e preparados para gerir o dia-a-dia”.

História comprova

Assumpção afirmou que a mesma tendência foi notada durante o estouro da bolha da internet nos EUA e a crise energética no Brasil. “A história mostra que períodos de crise tendem a valorizar o executivo mais operacional “. Para ele, o ano passado, marcado por aberturas do mercado de capital, fusões e aquisições, foi o do profissional estratégico.

Aprenda a investir na bolsa

Para se ter uma idéia, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) movimentou, pela primeira vez na história, mais de R$ 1 trilhão no ano de 2007. Para explicar tal evolução, vale ressaltar a popularização do mercado de ações ao longo do ano, com um expressivo avanço da procura dos investidores individuais, principalmente de classe média, além do forte fluxo de investimentos estrangeiros.

O consultor acredita que as companhias começaram o ano de 2008 adiando projetos estratégicos, que envolvem os grandes investimentos, por temor de um possível “efeito dominó” na economia mundial. “Mas, ao contrário do que se imagina de imediato, crises como esta não paralisam as trocas de comandos. O que elas provocam é exatamente esta mudança significativa do perfil dos candidatos mais desejados”.

Operacional ou estratégico?

O ideal para as empresas é que o profissional consiga desempenhar suas funções de forma eficiente, tanto no estratégico quanto no operacional. Isso significa não só participar de decisões da empresa, executar novos projetos e ter um perfil inovador, mas também arregaçar as mangas e realizar as tarefas do dia-a-dia sempre que necessário.

Caso sua participação seja mais solicitada no estratégico, contenha-se, para não se achar mais importante do que realmente é. Saiba que você só poderá discutir novas idéias e participar de reuniões porque existem pessoas capacitadas em sua equipe realizando as tarefas diárias. Portanto, saiba valorizá-los e apoiá-los sempre que necessário.

Por outro lado, se sua tarefa hoje está mais voltada ao operacional, isso de maneira alguma significa que você não pode dar idéias, sugestões ou participar mais de perto de outras áreas da empresa. Lembre-se de que sempre há chance de desenvolver novas atividades, desde que você mostre interesse e desenvolva a visão do todo, ou seja, consiga visualizar outras atividades realizadas ao seu redor.