Cresce o número de aposentados que voltaram ao mercado de trabalho formal

Em 2008, 12,9% dos aposentados que trabalhavam tinham carteira assinada ou contrato. Neste ano, índice é de 37,2%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Nesta quinta-feira (1º) comemora-se o Dia Internacional da Terceira Idade. Se, ao ler essa frase, você pensou naquelas pessoas que ficam em casa tricotando, no caso das mulheres, ou na praça jogando xadrez, no caso dos homens, saiba que essa imagem já não corresponde mais à realidade.

Para se ter uma ideia, segundo uma pesquisa da Fecomércio-RJ (Federação do Comércio do Rio de Janeiro), a parcela das pessoas que voltaram a trabalhar com carteira assinada ou contrato, mesmo após a aposentadoria, passou de 12,9% no ano passado, para 37,2% neste ano.

Em 2009, 27,1% das pessoas no mercado de trabalho eram idosos que voltaram a trabalhar, seja com carteira assinada ou não. Desse total, além dos 37,2% registrados, 41% trabalhavam por conta própria e 21,8% sem carteira assinada ou contrato.

Área de atuação

Aprenda a investir na bolsa

A pesquisa, realizada com 451 pessoas na cidade do Rio de Janeiro, também indicou que há mais pessoas acima de 55 anos que atuam na mesma área em que trabalhavam antes da aposentadoria: 66,7% neste ano, contra 51,8% em 2008.

“A valorização desse público junto às empresas, especialmente no comércio de bens e serviços, em função da experiência acumulada e também por conta dos efeitos da crise econômica, acompanhada do movimento de formalização gradual do mercado de trabalho, colaborou para que uma proporção maior de aposentados que voltaram ao mercado passasse à formalidade”, diz o economista da Fecomércio-RJ, Christian Travassos.

Aumentando os ganhos

O estudo também indica que 41% dos aposentados que estão no mercado de trabalho neste ano ganham um salário maior que o benefício previdenciário. Em 2008, essa porcentagem era de 31,8%. Somado a isso, está o fato de que 81,4% das pessoas com mais de 55 anos são responsáveis pela única ou a maior remuneração entre os membros da família.

É em busca da garantia de renda para o sustento próprio e da família que muitos aposentados voltam a trabalhar. Para 62,8%, a volta ao mercado de trabalho ocorreu por necessidade, enquanto apenas 1,3% indicaram que fizeram essa escolha por ainda terem condições de trabalhar.

Por outro lado, aumentou a parcela dos aposentados que voltaram porque não gostam de ficar parados, que passou de 18,8% em 2008 para 33,3% neste ano. Já a porcentagem daqueles que tomaram essa decisão para ocupar o tempo passou de 2,4% para 17,9%.

“O fato é que hoje as pessoas envelhecem mais ativas e com desejo de ter qualidade de vida. Tanto que aumentou significativamente o volume de pessoas que voltaram a trabalhar porque não gostam de ficar paradas e para ocupar o tempo”, afirma Travassos.

PUBLICIDADE