Cresce a diferença entre o salário mínimo ideal e o que é praticado

"Isso se deve ao repique inflacionário de 2008, que contaminou o mínimo necessário", diz técnico do Dieese

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A diferença entre o salário mínimo oficial e o necessário para o brasileiro arcar com suas contas tem crescido nos últimos anos no Brasil.
De acordo com o “Balanço dos pisos salariais negociados em 2008”, divulgado nesta sexta-feira (22) pelo Dieese (Departamento Sindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), em 2006, a diferença entre o salário mínimo praticado e aquele que deveria ser concedido era de 4,46 vezes, o que subiu para 4,51 vezes em 2007 e para 4,89 vezes no ano passado.
“Entre 2006 e 2007, ela ficou mais ou menos estável, mas em 2008 teve uma pequena elevação. Isso se deve ao repique inflacionário do ano passado, que contaminou o salário mínimo necessário”, explicou o técnico do Dieese, Luís Ribeiro.

Futuro

O salário mínimo necessário é o valor estimado pelo Dieese, com base no custo da cesta básica de alimentos e nas demais despesas do orçamento de uma família composta por dois adultos e duas crianças, para cobrir as despesas previstas na Constituição Federal.
Sobre o que vai acontecer com a diferença do salário mínimo nos próximos anos, Ribeiro afirmou que isso vai depender de diversos fatores, como o controle inflacionário.
“Mas a política do salário mínimo é de recuperação do seu poder de compra até 2011, então temos que esperar para ver. O que se pretende é que ele suba acima da inflação, medida pelo INPC, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, incorporando o crescimento do PIB do período”, afirmou.

Salários

De acordo com os dados, em decorrência do aumento da diferença entre o salário mínimo oficial e o necessário, apenas um dos 628 pisos salariais analisados na pesquisa em 2008 ultrapassou o valor médio apurado no ano, que é de 4,89 mínimos.

Aprenda a investir na bolsa