Consumo: intenção de comprar bens de maior valor sobe em novembro

De acordo com pesquisa divulgada pela CNI, indicador registrou 114,5 pontos em novembro, ante 113,2 pontos em outubro

SÃO PAULO – O indicador que demonstra a disposição dos consumidores em comprar bens de maior valor registrou, em novembro, queda de 1,15%, ante o mês anterior.

O indicador marcou 114,5 pontos no último mês, ante os 113,2 pontos de outubro, segundo o Inec (Índice Nacional de Expectativa do Consumidor), divulgado nesta quinta-feira (1) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).

Em relação a novembro do ano passado, quando o índice havia registrado era de 115,8 pontos, houve queda de 1,12%.

PUBLICIDADE

Índice por idade e renda
Observando o índice que mede a perspectiva para comprar bens de maior valor, de acordo com a idade dos entrevistados, os de 25 e 29 anos apresentam mais disposição.

Isso porque 37% dos consumidores desta faixa etária disseram que esse tipo de compra vai aumentar ou vai aumentar muito. Na faixa de 16 a 24 anos, 36% disseram o mesmo, ao passo que 30% dos consumidores que possuem de 30 a 39 anos apostam no aumento das compras. Entre aqueles com idade entre 40 e 49 anos, o índice foi de 27%, enquanto para aqueles com mais de 50 anos, o índice foi 28%.

Já em relação à renda, aqueles que recebem de dois até cinco salários mínimos são os que mais esperam pelo aumento das compras de bens de maior valor, com 38% das respostas, conforme demonstra a tabela abaixo:

Disposição para comprar bens de maior valor
Renda familiarAumentar/Aumentar MuitoManter mais ou menos os mesmosDiminuir/Diminuir muito

Mais de 10 salários mínimos

36%53%11%

Mais de 5 a 10 salários mínimos

36%52%12%
Mais de 2 a 5 salários mínimos38%48%14%
Mais de 1 a 2 salários mínimos28%56%16%
Até 1 salário mínimo25%57%19%

Dados por regiões e gênero
Se levados em conta os números por região, a Sudeste é a mais otimista, com 36% das respostas apontando que o consumo de bens de maior valor vai aumentar ou aumentar muito.

PUBLICIDADE

Em segundo lugar ficaram as regiões Norte e Centro-Oeste, com 33% de respostas para o aumento das compras e, em terceiro, aparece a região Nordeste, com 32%. Em último lugar ficou a região Sul, com 21%.

Na segmentação por gênero, 35% das mulheres e 33% dos homens disseram que as compras vão aumentar ou aumentar muito.

Metodologia
O Inec é elaborado a partir de pesquisa de opinião pública de abrangência nacional, conduzida pelo Ibope com 2.002 pessoas. A pesquisa tem periodicidade mensal.