Consumo das famílias vai crescer menos em 2011

Dados do Banco Central mostram uma evolução de 4,8% no consumo das famílias no próximo ano, ante 6,8% em 2010

SÃO PAULO – O consumo das famílias deve crescer menos em 2011. De acordo com dados divulgados pelo Banco Central, nesta quarta-feira (22), o aumento deve ser de 4,8%, ante 6,8% neste ano.

“Durante a crise, o consumo foi sensibilizado”, afirmou o diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Araújo. Depois disso, ele cresceu amparado no aumento dos salários, na queda do desemprego e na maior confiança do consumidor. Para 2011, no entanto, ele deve desacelerar, acompanhando a economia como um todo. 

De acordo com Araújo, o crescimento do consumo ao longo dos últimos anos tem sido apoiado ainda pela expansão do crédito, que deve registrar desaceleração também em 2011, com avanço de 15% no próximo ano, ante 20% em 2010. “Acreditamos que o consumo vai continuar se apoiando no crédito em 2011, ainda que em um ritmo menos acelerado”.

PUBLICIDADE

Economia
A economia brasileira deve crescer 7,3% neste ano, enquanto o aumento projetado pelo BC para 2011 ficará em 4,5%.

“O crescimento da economia tem sido determinado pela demanda doméstica”, afirmou o diretor do BC. A demanda doméstica deve apresentar um crescimento de 10% neste ano, o que seria o maior percentual desde 2000, início da série histórica apurada pelo Banco Central.

Confira, abaixo, as expectativas do Banco Central para diversos componentes pela ótica da demanda em 2010 e em 2011:

Estimativas para o PIB
(Ótica da demanda) 
Componente20102011
Consumo das famílias6,8%4,8%
Consumo do governo3,9%2,4%
Formação Bruta de Capital Fixo20,9%7,4%
Exportações10,3%8,3%
Importações34,3%11,9%
PIB7,3%4,5%