Consultores falam como manter o emprego na crise

Pesquisa feita com 6 mil internautas revelou que 35% das empresas brasileiras já reduziram seu quadro de funcionários e planejam demitir mais este ano

SÃO PAULO – Pesquisa feita com 6 mil internautas revelou que 35% das empresas brasileiras já reduziram o seu quadro de funcionários e planejam demitir
mais este ano. Por outro lado, 27% das empresas não pretendem fazer alterações no número de membros das suas respectivas equipes.

“Em tempos de crise, as pessoas devem contribuir com a empresa no sentido mais amplo da palavra, oferecendo-se para ajudar no que for possível, se comprometendo com a organização, entregando os resultados que a empresa espera e evidenciando toda a flexibilidade e adaptabilidade que o momento exige”, ressalta a presidente da ABRH-SP (Associação Brasileira de Recursos Humanos), Elaine Saad.

Como manter o emprego?

Caso a empresa esteja em dúvidas sobre quais empregados ela irá manter, o profissional precisa mostrar que faz a diferença para manter o seu lugar na equipe.

PUBLICIDADE

“As pessoas conseguem preservar o emprego quando investem em sua qualificação, mesmo sem o apoio organizacional, exigindo que o funcionário saiba para onde a sua empresa está caminhando. Além disso, acompanhar as tendências do mercado também mantém a empregabilidade, mesmo que a empresa na qual estamos atuando venha a fechar, pois estes profissionais terão melhores condições de se recolocar no mercado”, destacou o presidente da ABRH-RN, Jocélio Soares.

Histórico

Para a presidente da ABRH-ES, Ângela Abdo, o histórico do trabalhador na empresa determina se ele vai prosseguir ou não na empresa em uma situação de cortes.

“Na hora da demissão, os profissionais precisam se lembrar de que a avaliação será feita em cima de seu histórico como um todo, por isso atitudes de última hora podem ser vistas como oportunistas. Mas demonstrar cooperação e solidariedade também é importante, por isso aquelas pessoas que entendem o momento da empresa, ajudam a reduzir custos e propõem soluções alternativas ajudam a fortalecer sua imagem na empresa”.

De acordo com o vice-presidente de Relações Trabalhistas da ABRH- Nacional, Carlos Pessoa, ao avaliar cortes, as empresas sabem exatamente quem vão manter e quem vão demitir. “Trabalhar direito e ter atitudes corretas com o seu empregador são atributos decisivos. Em uma lista de dez colaboradores, a empresa sabe, na hora do corte, quem deve ser o primeiro e quem deve ser o último a ser dispensado. Assim, consegue manter o emprego quem trabalha para ser o último da lista”.