Consultora dá sugestões para a excelência na comunicação não-verbal

Investir na linguagem corporal é um ato de sensibilidade e de respeito ao interlocutor, pois valoriza a mensagem

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O corpo fala e… escuta. Para a autora do livro “Falar bem é fácil”, Eunice Mendes, que também é consultora sênior do Instituto MVC, basta prestar atenção e encontraremos nas pessoas pistas valiosas sobre sua identidade nem tão secreta assim.

“A postura, as expressões faciais, os movimentos dos olhos, do rosto, das pernas, das mãos; enfim, qualquer gesto, por mínimo que seja, conta a verdade sobre quem somos e o que sentimos, bem como ajuda a traduzir o que as palavras muitas vezes não conseguem expressar”, diz ela. E porque o corpo não só fala como também escuta, conseguimos identificar quando o interlocutor não se interessa pelo que dizemos.

Aprimorando a autoconfiança

Eunice garante que ter domínio sobre seu corpo ajuda a conquistar mais segurança nas situações em que o profissional está no centro das atenções. “Busque harmonia entre os gestos e as palavras, entre a linguagem corporal e a oral, pois, desse conjunto, depende uma comunicação clara e precisa. O não-verbal deve iluminar o conteúdo da mensagem e não ser uma sombra, que só fará diminuir o poder e a dimensão positiva das idéias”.

Aprenda a investir na bolsa

Confira as sugestões da consultora para a excelência na comunicação não-verbal:

  • Fale com autoconfiança e mantenha o olhar erguido, mas com simplicidade, nunca desafiando as pessoas. As costas devem estar eretas, mas não com ares de superioridade. Isso facilita a proximidade com seu interlocutor;
  • A naturalidade você adquire mantendo as pernas paralelas e levemente flexionadas. Seus pés devem sustentar toda a estrutura corporal. Durante a apresentação, permaneça em pé, pois isso permite a você estar mais presente, bem como sua energia mais concentrada;
  • Um pequeno movimento dos olhos, do rosto, das pernas e, principalmente, das mãos revelam quem você é. As mãos, às vezes, denunciam a nossa ansiedade, principalmente quando resolvem tremer como gelatina ou ficar frias como gelo. Inicie sua apresentação com as mãos soltas ao longo do corpo. Aos poucos, elas encontrarão espaço para se expressar, de forma natural e espontânea;
  • Um conselho importante: evite pôr as mãos nos bolsos durante a apresentação, bem como cruzá-las na frente ou nas costas. Antes da apresentação, faça um aquecimento abrindo e fechando as mãos. Isso dará maior flexibilidade à musculatura e ajudará a relaxar; Evite esfregar o nariz ou passar a mão no rosto ou nos cabelos, para não demonstrar a tensão e a ansiedade;
  • Antes de qualquer reunião ou apresentação, procure conhecer o seu público. Pesquise sobre o que eles precisam ouvir, tenha conhecimento do seu discurso e faça-o sempre com um sorriso espontâneo nos lábios, demonstrando segurança para não causar uma impressão negativa;
  • Seja coerente e procure ser você mesmo ao se expor para um grupo de pessoas. Nessa exposição, dê atenção a todos, deixe o seu olhar dançar entre eles. Nunca olhe fixamente para nenhum deles, para não causar constrangimento. Além disso, não exagere nem faça gestos forçados, eles podem parecer falsos;
  • PUBLICIDADE

  • Essa conversa com seu corpo também deve levar em consideração sua postura, que deve ser sempre elegante e natural em suas apresentações em público. Quanto à escolha das roupas, deve-se prezar a elegância, a discrição e a simplicidade, para causar uma boa impressão logo no primeiro encontro;
  • Busque, pelo olhar, o diálogo com seu interlocutor. Esse diálogo deve ser silencioso, positivo, acolhedor e estimulante;
  • Por fim, lembre-se de que a sabedoria está em sempre perguntar o que é mais adequado para essa ou aquela ocasião, de acordo com a imagem que se pretende passar. O corpo fala e revela tudo, mesmo que você não queira! Investir no poder da linguagem corporal é um ato de sensibilidade e de respeito aos nossos interlocutores, pois valoriza a mensagem e lhe dá uma nova dimensão!