Doou tudo para a caridade

Conheça o fundador da OLX que deixou a empresa e foi ser feliz

Fabrice Grinda decidiu mudar de vida radicalmente e surpreendeu pela atitude não ser nada comum no mundo corporativo

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O que você faria se não estivesse feliz com seu atual trabalho e estilo de vida? Enquanto a maioria optaria em mudar apenas algumas coisas, Fabrice Grinda, um dos fundadores da OLX, decidiu mudar de vida radicalmente.

Grinda deixou o cargo de presidente da empresa – um dos maiores do mundo no segmento de classificados gratuitos –, abandonou seu apartamento luxuoso em Nova York e doou seus bens materiais para instituições de caridade.

Tudo começou em agosto de 2010, após vender o controle da OLX à empresa Naspers por US$ 144 milhões e perceber que o seu estilo de vida estava afastando-o das relações pessoais mais importantes de sua vida.

PUBLICIDADE

“Quando as pessoas vendem com sucesso suas empresas, elas normalmente compram coisas. Eu, ao contrário, deixei minha casa e meu carro para trás e dei para caridade a maioria dos meus bens (livros, móveis, roupas, etc) em dezembro de 2012”, escreveu o ex-executivo em seu site, onde conta como está sendo a sua mudança.

Para ele, os bens materiais o estavam afastando-o do que ele realmente considera importante na vida e esse foi o principal motivo que o fez deixar a OLX e sua vida luxuosa. “Estava gastando muito dinheiro para manter o meu apartamento. Nós devemos passar tempo em um lugar porque queremos e para maximizar a nossa felicidade, não porque sentimos que temos que ficar ali para justificar o gasto que temos para mantê-lo”.

Depois disso, ele partiu para uma missão de se envolver com atividades que antes lhe davam prazer, como passar várias noites conversando com velhos conhecidos que antes estavam distantes por causa do trabalho. No entanto, ele descobriu que depois de alguns dias as visitas ficavam entediantes. “Demorou pouco para eu perceber que estava ficando tempo demais na casa de meus amigos. Meus sonhos de fazer couch surfing por semanas ao redor do mundo foram destruídos”, afirma.

Fabrice declara que voltou a esquiar, ler, ver filmes e jogar videogames, entre outras atividades que ele amava. Também planejou viagens com seus amigos para manter uma relação cada vez mais agradável. “Eu aprendi que a organização de viagens fora do período de férias tradicionais claramente traz benefícios em termos de redução de custos e viagens mais fáceis. Porém, é mais difícil para pessoas com crianças em idade escolar passar mais de um fim de semana prolongado, especialmente se não houver voos diretos.”

Hoje, o ex-executivo passa boa parte de seu tempo na República Dominicana, onde, segundo ele, os ventos sempre o ajudam. “O meu custo de vida na República Dominicana é menos que um décimo do que era em Nova York”. No entanto, ele confessa sentir falta dos restaurantes da grande maçã e das salas de cinema IMAX.

Fabrice continuou trabalhando, mas dessa vez, ele faz pequenos aportes em empresas que ainda se encontram em estágio inicia, sendo que nos últimos dois anos, ele já criou quatro novas empresas.