Conheça as áreas mais estressantes para se trabalhar

Profissionais que desejam crescer nas organizações apostam em uma jornada de trabalho frenética e exaustiva para obter resultados

SÃO PAULO – A possibilidade de um rápido crescimento dentro das organizações têm motivado cada vez mais profissionais a investirem em uma jornada de trabalho mais frenética e exaustiva. As metas, prazos e a excelência dos serviços passaram a ser essenciais para garantir não apenas o sucesso profissional, mas também uma carteira de clientes satisfeitos.

Hoje, por exemplo, não é raro encontrar executivos que, apesar do ritmo acelerado, realmente não se importem de trabalhar em segmentos reconhecidamente estressantes. Contudo, tal preferência se deve a um bom motivo: o perfil de cada profissional.

Na opinião da gerente da Divisão de Engenharia da Robert Half, Daniela Ribeiro, por exemplo, alguns colaboradores são atraídos para tais profissões justamente por seu perfil pessoal. “Existem executivos que não se adequam a trabalhos convencionais. Eles desejam um ritmo acelerado e gostam da correria. Tratam-se de pessoas dinâmicas, normalmente movidas por metas”, explica.

PUBLICIDADE

Geração Y
Quem conhece muito bem essa rotina de trabalho são os profissionais da geração Y. Ou seja, aqueles nascidos entre 1978 e 1999.

Acostumados com um ritmo de trabalho mais acelerado, os jovens de tal geração costumam ser ansiosos por natureza e têm pressa de subir na carreira. Para eles, as metas e o sistema de meritocracia adotado por algumas empresas não costumam ser um problema, mas sim uma solução para garantir o sucesso profissional.

“A geração Y espera resultados imediatos e apresenta uma necessidade de crescimento no curto prazo maior do que a da geração X. Por essa razão, esse ritmo de trabalho se adequa ao perfil deles”, diz Daniela.

As mais estressantes
Entre as áreas mais estressantes para se trabalhar que encontram-se em alta no mercado, a de auditoria, a financeira e a comercial costumam ter mais destaque. “Esses segmentos trabalham em cima de metas e resultados. Fazem parte deles, principalmente, os prestadores de serviços em geral”, informa Daniela. A relação completa das áreas apuradas encontra-se na tabela à seguir:

Conheça as áreas mais estressantes
Auditoria
Financeira
Comercial
Tecnologia da Informação
Comunicação
Saúde
Acadêmica
Fonte: Robert Half e Veris Faculdade

Outro exemplo dado pela gerente diz respeito às companhias que atuam com Private Equity – atividade financeira realizada por instituições para desenvolver e alavancar empresas. “As pessoas que trabalham em organizações com esse perfil de negócios estão sujeitas a cobranças muito intensas. Como os objetivos são agressivos, eles [os profissionais] são pressionados para alcançar tais metas em troca de bonificações salariais”, explica Daniela.

Fazem parte de tal lista, ainda, outras áreas como a de TI (Tecnologia da Informação) e a de comunicação, segundo informa o professor do curso de Gestão em Recursos Humanos da Veris Faculdade, Cristiano Luiz Rosa. “Os profissionais de TI, por exemplo, costumam ser mais introvertidos e apresentam dificuldade de verbalizar quando estão atravessando picos de estresse”, diz.