Rede profissional

Conheça a rede social beBee, principal concorrente (e ameaça) do LinkedIn

Em operações desde fevereiro de 2015, a beBee teve um início promissor: logo no primeiro ano após o lançamento, já alcançou 11 milhões de usuários em todo o mundo

SÃO PAULO – O LinkedIn já conta com mais de 443 milhões de usuários em todo o mundo. Mesmo sendo considerada uma das maiores redes sociais do mundo, uma concorrente espanhola pretende roubar o pódio da norte-americana.

Em operação desde fevereiro de 2015, a beBee teve um início promissor: logo no primeiro ano após o lançamento alcançou 11 milhões de usuários em todo o mundo; quando lançado, o LinkedIn alcançou 4 milhões no primeiro ano. No Brasil, a espanhola já conta com 2 milhões de usuários.

A grande diferença entre as redes sociais, segundo o presidente de beBee, Juan Imaz, é conseguir ser uma rede profissional construída com base nos interesses pessoais dos usuários. “As pessoas dizem que quando usamos um hobbie para nos conectarmos, criamos melhores oportunidades pessoais e conseguimos passar uma imagem profissional melhor. Os interesses pessoais geram melhor engajamento”, explicou.

PUBLICIDADE

Esse é o conceito de affinity networking, o principal da rede social: criar novas relações e contatos com base nos interesses comuns – sejam paixões, hobbies ou interesses profissionais. “Na beBee você encontra conteúdos interessantes e que são relevantes pra você; nas outras redes, 80% do conteúdo que você terá será irrelevante, pois esses contatos criarão conteúdos que não têm a ver com seus interesses”, explicou o diretor.

Isso acontece graças às “colmeias” da rede, que funcionam como as antigas comunidades do Orkut: elas serão sobre um tópico específico e onde esse assunto será discutido. É nessas colmeias que os usuários se conhecerão e compartilharão interesses.

Outra diferença do LinkedIn é o fato de a rede ser totalmente gratuita – para ter acesso completo a algumas ferramentas do site, o LinkedIn cobra a assinatura dos membros. Além disso, a rede social é inteiramente aberta, “como o Twitter”, segundo Juan.

Nos demais sentidos, é semelhante ao LinkedIn: as empresas têm páginas aonde podem publicar conteúdo, tal como os usuários, que também podem publicar artigos e conteúdos; criar o perfil profissional com currículo, experiências, cursos, entre outras características; e criar conexões entre si.

Na beBee, as empresas também podem anunciar vagas de emprego. “São mais de 300 mil vagas de empregos publicadas em todo o mundo. No Brasil, 102 mil”, disse Juan. Áreas como a de vendas, comercial e operacional são algumas das que marcam presença.

Programa de embaixadores
Os usuários da beBee que forem os mais ativos e conseguirem promover a rede social da melhor forma possível poderão se tornar “embaixadores” da rede social. “Eles se tornarão acionistas da empresa. Ainda não temos nenhum embaixador brasileiro, apenas na Espanha e Estados Unidos”, disse Juan.

PUBLICIDADE

Promover a beBee nas redes sociais, engajar novos membros, publicar conteúdo próprio dentro da rede e compartilhar conteúdo dos demais usuários são alguns dos requisitos para que o usuário consiga se tornar um embaixador.

“O Brasil é um país muito social, as pessoas são muito abertas, gostam muito de contatos e gostam da beBee. É uma rede social que também é aberta, permite que eles encontrem empregos e melhorem seus negócios”, disse o presidente.