Confira dicas para ser bem-sucedido no novo Enem

"Os estudantes serão estimulados a propor soluções para situações do dia-a-dia. Decorar não vai adiantar", afirma especialista em Educação

SÃO PAULO – O novo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) será utilizado como forma de ingresso em ao menos 40 das 55 universidades federais do País. A mudança deixou muitos estudantes animados. Outros ficaram apreensivos.

Kethellen Teixeira, de 17 anos, se decepcionou com a alteração, que, segundo ela, foi de última hora. “Achei que a mudança ficou muito em cima. O modelo pode ser bom, mas não sei se o tempo é suficiente para me preparar. Sem falar que não são todos os professores que já se adaptaram às novas exigências de ensino”, opina.

O que muda

O especialista em Educação Sérgio Cintra explica que, com 180 questões de múltipla escolha, o exame irá privilegiar a capacidade de análise, o senso crítico e a habilidade do aluno em relacionar o aprendizado escolar à realidade. “Os estudantes serão estimulados a propor soluções para situações do dia-a-dia”, afirma, ao lembrar que decorar a matéria não vai adiantar.

PUBLICIDADE

Cintra compreende a insegurança dos jovens. “É preciso buscar uma metodologia de ensino diferente, antenada à nova realidade. O educador precisa estar pronto para conduzir o aluno dentro de uma nova filosofia”, explica, em referência a um método de estudo que ensine a pensar e compreender o mundo.

Para Cintra, apesar do receio inicial, não há o que temer. A expectativa é de que, no longo prazo, o novo Enem beneficie estudantes, por meio da valorização do conhecimento e do desenvolvimento da cidadania. “Ao trazer o cotidiano para o exame, será possível ver como o aluno emprega os conceitos aprendidos em prol da sociedade”.

Dicas práticas

A dica do professor para o aluno é: leia, mas preocupando-se com a interpretação de textos. Entender o que está escrito e o que é pedido é fundamental. Ter senso crítico também. “Há muitas perguntas em que a resposta é apenas uma simples questão de raciocínio”.

Em sua opinião, valorizar o raciocínio lógico é vital. Na vida, as pessoas geralmente se questionam do porquê das situações. Com o novo Enem, quem realmente se preocupar com os “porquês” sairá na frente. “É um estímulo para que os estudantes passem a pensar e refletir”, conclui Cintra.