Confira cinco passos que ajudam na implementação do coaching nas empresas

É interessante pesquisar qual a experiência do profissional que desenvolveu e aplicará o processo, diz consultoria

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Engajadas com o aprimoramento das competências e habilidades de seus profissionais, as empresas oferecem o coaching. Mas o problema é que poucas sabem que é preciso prestar atenção a alguns aspectos, antes da implementação do programa.

De acordo com a consultoria Top Mind, em resumo, o programa de coaching auxilia as empresas na preparação de líderes para torná-los capazes de assumir, no futuro, posições de liderança. “O papel do coach é, essencialmente, ajudá-lo [o profissional] a se preparar para a nova empreitada”, diz a diretora executiva da Top Mind, Sandra Maura.

Além disso, os coachs trabalham a questão do relacionamento interpessoal e enfatizam as melhores práticas para se trabalhar sob pressão.

Aspectos a observar

Aprenda a investir na bolsa

Confira abaixo quais são os aspectos que as empresas devem atentar antes de implementar um processo de coaching:

  • Experiência do coach: pesquise qual a experiência do profissional que desenvolveu e aplicará o processo; se ele vivenciou situação semelhante à vivida pela pessoa que passará pelo programa; e se apresenta características de líder. Além disso, busque o máximo de informações sobre a consultoria que está por trás desse profissional, por meio de referências.
  • Afinidade entre as partes: é importante que haja empatia, para criar uma relação de confiança entre coach e coachee.
  • Prazo e metologia: procure se informar sobre como o coach vai conduzir seu trabalho, sempre lembrando que cada um tem sua metodologia, que pode ser adaptada à empresa.
  • Resultados: como saber se o programa tem dado certo ou não? Antes de contratar o coach, pergunte qual será a forma de avaliar os resultados obtidos, para que a empresa se mantenha informada sobre os procedimentos que estão sendo adotados.
  • Transparência: o coach precisa ser claro com o coachee. “Caso a pessoa que esteja sendo treinada queira desenvolver alguma competência que o programa ou coach não possa ajudar, ele precisa ser franco e auxiliar esta pessoa a encontrar o profissional mais adequado para sua necessidade”, orientou a consultoria.