Confira as fontes de resistência ao processo de mudança

Uma delas é o ceticismo: “Não acredite que todos os funcionários confiam em você como gostaria“, diz especialista

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em momento de crise, nada mais ideal do que falar de mudança. Fusões, aquisições, demissões, admissões acontecem enquanto o mercado tenta se adequar à nova realidade. Porém, sempre existem fontes de resistências. Você sabe quais são elas?

De acordo com a jornalista e autora do livro “Atreva-se a Mudar! Como Praticar a Melhor Gestão de Pessoas e Processos”, Alessandra Assad, a resistência à mudança pode ser conseqüência de três aspectos, sendo o primeiro deles o lógico, decorrente do tempo e esforço requerido para ajustar-se à mudança.

Além disso, existem os aspectos psicológicos, que envolvem os sentimentos e as atitudes das pessoas a respeito da mudança, além dos aspectos sociológicos, decorrentes dos interesses de grupos e valores sociais envolvidos.

Aprenda a investir na bolsa

As fontes de resistências
Elas são quatro, sendo a primeira delas o ceticismo. “Não acredite que todos os funcionários levam ao pé da letra tudo o que você diz ou que confiam em você como gostaria”, diz Alessandra em seu livro. É preciso conquistá-los ao longo do tempo. “Demonstre sua compreensão e comece a construir a solidez da sua credibilidade”.

A segunda fonte de resistência à mudança é o medo das conseqüências negativas. “A maior parte das pessoas prefere morrer com o pouco que têm a correr o risco de perder o pouco que já conquistaram”. Com essas pessoas: peça que participem e envolva-as, pedindo suas opiniões.

A terceira fonte de resistência é a frustração. “O excesso de controle, a falta de orientação ou, ainda, a sensação de estar sendo subutilizado na empresa tiram a motivação das pessoas para participarem de qualquer tipo de iniciativa. Certifique-se da maneira como seu pessoal é gerenciado. Você pode estar perdendo contribuições valiosas por conta disso”.

A quarta fonte citada por Alessandra foi a atitude individualista, que não cabe mais nas empresas atuais, uma vez que pensar no todo é fundamental para o crescimento pessoal.

“Todas essas fontes de resistência podem ser vencidas. Mas é preciso que você entenda que só com ações conseguirá chegar aonde quer. Você precisa enfrentar a resistência com força igual ou maior a ela e, acima de tudo, comprometer-se com um esforço a longo prazo”.

Supere as resistências
Confira abaixo as dicas de Alessandra para que se supere a resistência durante processos de mudança:

  • Supere as ameaças externas;
  • Evite as ameaças internas;
  • Ancore-se em um porto seguro;
  • Jamais esmoreça. Na Física, força é a capacidade de vencer a resistência!
  • Certifique-se de que a visão de futuro que você está vendo para a equipe é sedutora e cativante para os indivíduos;
  • Tenha certeza de que poderá responder à pergunta: “Em que isso me afeta?”;
  • Demita os resistentes radicais e os ajude, se puder;
  • Não iluda os demais a acreditarem que, se resistirem ao novo, permanecerão;
  • Aumente o reconhecimento financeiro quando perceber que as mudanças estão acontecendo para valer;
  • Seja franco sempre;
  • Faça aquilo que fala;
  • Lembre-se de que seus argumentos são decisivos para determinar quem serão seus seguidores.

PUBLICIDADE