Comunicação estratégica ganha importância na crise

Para Aberje, comunicação permite que empresa ganhe espaço no mercado; profissionais da área devem assumir papel de gestores estratégicos

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A crise econômica mundial fez com que muitas empresas cortassem custos e a área de Comunicação não passou despercebida. Porém, se é importante para a companhia diminuir os gastos, também é evidente que o investimento estratégico na comunicação com stakeholders (todos os públicos com os quais a empresa estabelece relações) é fundamental para garantir sua reputação e visibilidade.

De acordo com a Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial), nesse cenário de crise, a comunicação corporativa se torna um ativo de grande relevância, porque possibilita compreender a fundo a organização e seu cenário de atuação, além de monitorar a concorrência e os públicos que interferem em seus negócios.

Com ela, ainda é possível alinhar o posicionamento, as decisões e as ações organizacionais em meio a um futuro incerto. Afinal, muitos falam que o “fundo do poço” da crise já passou, enquanto alguns são mais céticos em relação a isso. Ainda segundo a Aberje, a comunicação corporativa permite que se construa a reputação da organização em bases sólidas, importante para ganhar a preferência dos clientes neste momento de maior concorrência.

Profissionais

Aprenda a investir na bolsa

Aos profissionais que atuam na área, a Aberje indica que assumam um papel de gestores estratégicos da reputação e implementem projetos que incluam:

  • Um mapeamento dos públicos que são estratégicos para a empresa;
  • Políticas de comunicação dirigidas para cada um deles;
  • O posicionamento de comunicação da organização;
  • Análise de cenários internos e externos;
  • A determinação de objetivos a serem alcançados e ações necessárias para se chegar ao resultado;
  • Avaliação dos resultados.

Os desafios

De acordo com o coach executivo e de equipes, Carlos Cruz, um dos maiores desafios dentro das organizações é o de melhorar a comunicação entre todos os públicos.

“Quando estudamos o comportamento humano, podemos identificar três mecanismos que podem empobrecer as relações interpessoais e, por isso, prejudicar a comunicação dentro de uma organização. São eles: eliminação, distorção e generalização”, afirmou.

A eliminação ocorre quando parte da informação que se deve transmitir é omitida, enquanto a distorção acontece quando a mensagem é entendida de forma equivocada. A generalização, por sua vez, acontece quando, ao tomar conhecimento de um fato, tenta-se generalizar seus efeitos para outros contextos.

Para superar esses desafios, Cruz orientou que é preciso ter conhecimento de que eles existem. “É neste instante que pode-se assumir o controle do processo de comunicação e utilizar-se de técnicas para checar se a informação que está circulando na empresa é verdadeira ou um simples telefone sem fio”, afirmou.